Partilhar

Desconto: 25%
3,68 € 4,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Quando o doutor Humberto Huberman chega a um afastado hotel de Bosque del Mar para um merecido repouso, está longe, muito longe, de imaginar o que o aguarda. Em vez da desejada deliciosa e fecunda solidão que procura, vê-se envolvido nas complexas e estranhas relações que os hóspedes do hotel foram gradualmente urdindo e assiste, intrigado e perplexo, ao assassinato de um hóspede e ao desaparecimento de outro.
Isolados durante quatro dias por uma tempestade de vento e areia e sob a ameaça dos caranguejos do sapal e do mar, as já muito frágeis relações entre as personagens vão piorando. A novela transforma-se então numa fascinante viagem pelo mundo das paixões, do amor, da inveja, da vingança e do ódio, ganhando, então, o carácter das personalidades extrema importância: os fantasmas e os desejos de cada um, esses mundos imaginários e recônditos, integram o mistério que se irá revelando ao longo da obra.
Narrativa de grande subtileza, escrita sem mácula e extremamente fascinante, Quem Ama, Odeia é uma obra obrigatória em qualquer biblioteca.

Ler mais

Autor(es)

Silvina Ocampo

Ler mais

Adolfo Bioy Casares

Adolfo Bioy Casares (1914-1999) nasceu em Buenos Aires. Depois de estudar Direito, Filosofia e Letras, dedicou-se exclusivamente à literatura. Em 1932, conheceu Jorge Luis Borges, com quem iniciaria uma longa relação de amizade. Em colaboração com a sua mulher, Silvina Ocampo, e com Borges, publicou uma Antología de la Literatura Fantástica. Bom conhecedor de romances policiais, co-dirigiu durante largos anos a prestigiada colecção «El Séptimo Círculo». A sua obra destaca-se no cenário da literatura latino- americana pelas incursões no género da mais pura estirpe fantástica, ao qual adiciona, de forma absolutamente incomparável, a ironia e a ternura. Escreveu vários volumes de contos em colaboração com Jorge Luis Borges, sob os pseudónimos de H. Bustos Domecq e B. Suárez Lynch. Algumas das suas obras foram adaptadas ao cinema, à televisão e ao teatro, nomeadamente A Invenção de Morel. Em 1990, recebeu o Prémio Cervantes e o Prémio Alfonso Reyes. 

Ler mais