Partilhar

A Crise no Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol

Fora de Coleção

Diogo Freitas do Amaral

Sujeito a confirmação por parte da editora


+5% em Cartão Almedina
Desconto: 10%
11,81 € 13,12 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Índice
Nota Prévia.
Consulta
PARECER
§ 1.° Considerações preliminares
§ 2.° Como surgiu o problema?
§ 3.° Questões a resolver
§ 4.° Os factos relevantes e o Direito aplicável
§ 5.° Síntese das conclusões parcelares
§ 6.° Conclusão geral
Anexos
Adenda

Nota Prévia
De vários lados me chegaram pedidos insistentes no sentido de divulgar na íntegra o parecer jurídico que me foi solicitado pela Federação Portuguesa de Futebol, em 8 de Julho do ano corrente, sobre a crise ocorrida no dia 4 no respectivo Conselho de Justiça. O parecer foi entregue em 24 de Julho.
Com a devida autorização da entidade consulente - e sendo prática habitual entra os jurisconsultos a publicação de pareceres seus em opúsculo - decidi torná-lo público, até porque este caso, verdadeiramente singular, suscita vários e importantes problemas, novos, no âmbito do Direito Administrativo, bem como noutros ramos do Direito público e privado, onde haja normas que regulem o funcionamento de órgãos colegiais.
Agradeço às Edições Almedina, de Coimbra, o pronto acolhimento que deu à ideia de editar, num curto prazo, mais esta minha obra jurídica.
E aproveito também para agradecer, de forma expressa, a excelente colaboração que me prestou, sob todos os aspectos, na elaboração deste parecer, o Prof. Doutor Pedro Machete, da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa, que tive o grande gosto de ter como aluno e que tenho hoje a satisfação de ter como colega.
DIOGO FREITAS DO AMARAL

Ler mais

Autor

Diogo Freitas do Amaral

"Professor Catedrático aposentado da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa.

Foi uma figura nacional conhecida como professor de Direito, político e escritor. 

Foi conselheiro de Estado, Vice-Primeiro-Ministro, Primeiro-Ministro interino, Ministro dos Negócios Estrangeiros (2 vezes) e Ministro da Defesa Nacional. 

No plano internacional, foi presidente da UEDC - União Europeia das Democracias Cristãs (1981-83) e presidente da Assembleia Geral da ONU (1995-96). "


Ler mais