ENVIOS GRÁTIS - Para compras de 20/11 a 16/12. Devolução prolongada até 30/01/2021. Ver condições

Partilhar

As Bênçãos da Civilização

Mark Twain

Em Stock


Desconto: 10%
14,85 € 16,50 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Não haverá salvação para nós que não seja adoptarmos a civilização e descermos ao seu nível?

O título é de escárnio e dispensa explicações: As Bênçãos da Civilização é uma colecção de ensaios, cartas, discursos e sátiras que revelam Mark Twain como o cronista da desonra americana. Em textos ferozes contra a guerra, o colonialismo e o racismo, escritos entre 1870 e 1908, Twain aborda tanto as infâmias dos Estados Unidos (Cuba arrancada aos Espanhóis, a carnificina nas Filipinas, a segregação de chineses na Califórnia, o linchamento de negros no Sul) como as tiranias das nações europeias no globo. Do pacifismo profano de «A Oração de Guerra» à candura corrosiva em «O Amigo de Goldsmith de Novo no Estrangeiro», passando pela grotesca personagem do «Solilóquio do Rei Leopoldo», As Bênçãos da Civilização é uma denúncia de patriotismos hipócritas e vocações civilizadoras – com o humor negro e perfurante de Mark Twain, em linhas de uma assombrosa actualidade. 


Ler mais

Autor

Mark Twain

Pseudónimo de Samuel Langhorne Clemens, escritor norte-americano nascido em 1835, na Florida. Quando tinha 4 anos a família mudou-se para Hannibal, na margem do Rio Mississípi. O pai de Twain morreu em 1847 e ele tornou-se aprendiz de impressor (1847-55). Entre 1853-54 viajou pelos diversos estados, trabalhando como impressor. Após uma breve viagem ao Brasil, tornou-se piloto fluvial no Mississípi (1857-61). Nessa época adotou o pseudónimo de Mark Twain, que na linguagem de verificação da profundidade dos rios significa "duas marcas" na sonda. Foi jornalista e conquistou a atenção do público com o conto The Celebrated Jumping Frog of Calaveras County, publicado em 1865 num jornal e depois editado em livro com outros ensaios (1867). Em 1867 Twain visitou a França, a Itália e a Palestina, recolhendo material para o seu livro The Innocents Abroad (1869), que estabeleceu a sua reputação de humorista. Twain casou em 1870 e fixou-se em Hartford, Connecticut. Dois anos depois publicou Roughing It, e em 1873 The Gilded Age. Em 1876 foi publicada a primeira das suas grandes obras, The Adventures of Tom Sawyer, romance baseado nas experiências da adolescência do autor no Rio Mississípi. No seu livro seguinte, A Tramp Abroad(1880) o autor revisitou a Europa, regressando ao seu território com Life on the Mississippi. A obra-prima da carreira literária de Twain, The Adventures of Huckleberry Finn, foi publicada em 1884. O livro, que à semelhança de Tom Sawyer parecia um livro para jovens, constituía na realidade uma fábula da América urbana e industrial que na época de Twain ameaçava o sonho de liberdade junto da natureza. Huck representava muitas das aspirações da sociedade americana, com as quais o público facilmente se identificou. O romance estabeleceu definitivamente Twain como um dos grandes humoristas da literatura mundial. Entretanto foram publicadas outras obras do autor: A Connecticut Yankee in King Arthur's Court (1889), The Tragedy of Pudd'nhead Wilson (1894) e Personal Recollections of Joan of Arc (1896). A década de 1890 foi marcada por dificuldades financeiras e nos últimos anos de vida o gosto de Twain pela caricatura burlesca deu lugar a um pessimismo satírico. A dimensão irónica do mundo e em particular do sonho americano revelaram a nova paisagem americana em toda a sua materialidade. Twain morreu em Abril de 1910. A sensibilidade do escritor, dividida na transição da América para a era industrial, influenciou particularmente William Dean Howells, amigo próximo de Twain.

Ler mais