Partilhar

Tempo do Coração – Correspondência

Ingeborg Bachmann, Paul Celan

2 dias


Desconto: 10%
18,00 € 20,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Viena, Primavera de 1948. Na cidade ocupada pelos Aliados, cruzam-se os destinos de duas das estrelas mais brilhantes no firmamento da poesia de língua alemã, inaugurando um diálogo íntimo e literário que se estenderia por duas décadas. Tempo do Coração reúne a correspondência dos dois autores – mantida em segredo até 2008 – e traça um retrato comovente de seres que se debatem com a escrita, os silêncios e a procura de uma voz própria depois de Auschwitz. Carta após carta, testemunhamos a ascensão de dois mestres da literatura, a sua vulnerabilidade perante os detractores e a exposição pública, e a constante busca pela admiração e pelo amor um do outro. Esta obra inclui também a correspondência trocada entre Ingeborg Bachmann e Gisèle Celan-Lestrange, mulher de Celan, e entre este e Max Frisch, companheiro de Bachmann. Em 2016, deu origem à premiada adaptação cinematográfica de Ruth Beckermann, Os Sonhados, a meio caminho entre a encenação e o documentário.

Ler mais

Autor(es)

Ingeborg Bachmann

Nascida em 1926 em Klagenfurt, na Áustria, INGEBORG BACHMANN é um dos maiores talentos dos nossos dias. Em 1950 doutorou-se em Filosofia com uma tese sobre o existencialismo de Heidegger. Em 1952 liga-se ao “Grupo 52”, movimento poético de vanguarda da República Federal Alemã. Tendo trabalhado na rádio austríaca, abandona tudo para se dedicar exclusivamente à literatura. Faleceu em Outubro de 1973, em Roma, devido a queimaduras sofridas num incêndio.

Ler mais

Paul Celan

Paul Celan nasceu em Czernowitz (Bucovina, na Roménia) em 1920, de pais judeus-alemães. Em 1940, Czernowitz é ocupada pelos soviéticos e no ano seguinte pelas tropas alemãs e romenas. Em 1942, os seus pais são deportados para um campo de extermínio, onde morrem poucos meses depois. Apesar de ter sobrevivido ao Holocausto, Celan permaneceu preso, num campo de trabalho, até 1943, ano em que a Bucovina volta a ser tomada pelos soviéticos. 
Em 1945, parte para Bucareste onde se torna tradutor e leitor de uma editora e publica os seus primeiros poemas. Em Dezembro de 1947, partirá para Viena, e um ano depois para Paris, onde se fixa e retoma os estudos (Germanística e Linguística). Entre 1950 e 1968, publica vários originais e traduções (Shakespeare, Henri Michaux, Paul Valéry, Pessoa, Mandelstam). Em 1969, um ano antes da sua morte, visita Israel. Suicida-se no Sena, um ano depois.

Ler mais