Partilhar

Desconto: 10%
25,11 € 27,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Pela primeira vez em Portugal, é reunida a obra teatral de Samuel Beckett. O presente volume compila todas as suas peças de teatro, incluindo para rádio e televisão, e um argumento para filme.
Traduções de Francisco Frazão, Jorge Silva Melo, José Maria Vieira Mendes, Luis Miguel Cintra, Margarida Vale de Gato, Miguel Esteves Cardoso, Pedro Marques, Rui Lage e Vasco Gato.

«"Deu cabo disto tudo", é fácil de dizer. E foi o que se disse, mal o teatro de Samuel Beckett começou a aparecer nos palcos, primeiro em Paris, depois em Londres, pelo mundo fora, incluindo Lisboa em 1959... Pois foi, com Beckett lá se foram rosas, sedas, intrigas, personagens, situações, tafetás, conflitos, tudo aquilo a que nos habituáramos a chamar teatro.
Cada vez menos, parece ele dizer, apenas uma respiração.
E, no entanto, mesmo que abalado por ele, mesmo que enterrado, o teatro continua com ele no coração: nada voltou a ser como foi, mas é nosso dever continuar.
Eis, finalmente, o seu Teatro Completo em português. Traduções históricas, traduções recentes, todo o seu teatro, essa máquina demolidora de onde havemos de ressurgir.»
Jorge Silva Melo

Ler mais

Amostra

Autor

Samuel Beckett

Samuel Beckett (1906-1989) nasceu em Foxrock, perto de Dublin na República da Irlanda no seio de uma família burguesa e protestante. Estudou francês e italiano no Trinity College de Dublin e foi professor em Paris onde conheceu James Joyce. Torna-se grande admirador do escritor que influencia a sua obra fortemente. Viveu a sua vida entre a Irlanda, Londres, Alemanha e França onde fez parte da Resistência durante a II Guerra Mundial. É no pós-guerra que se vive o período mais intenso da sua produção literária, com a escrita em francês e entre outros textos, da peça "À Espera de Godot", de uma trilogia de romances e de quatro novelas. Utiliza nas suas obras uma riqueza metafórica imensa, privilegiando uma visão pessimista acerca do fenómeno humano. É considerado um dos principais autores do denominado teatro do absurdo. Recebeu o Nobel da Literatura em 1969, distribuindo o dinheiro pelos amigos. Morre em Paris em 1989, tendo sido enterrado no cemitério de Montparnasse.

Ler mais