Partilhar

17,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

O primeiro grande ensaio de Fernando Rosas sobre o fenómeno dos fascismos, sem esquecer o salazarismo.

Pela primeira vez, Fernando Rosas, catedrático em História do Estado Novo e um dos grandes especialistas na História do Portugal Contemporâneo, escreve um ensaio comparativo acerca do Fascismo, fenómeno que nasceu na Europa na década de 30 do século XX.

Neste livro, Rosas explica-nos o surgimento do Fascismo, as circunstâncias e o contexto histórico que permitiram que florescesse, e descreve as várias faces que o movimento assumiu nos diferentes países: Espanha, Itália, Alemanha, mas também casos menos conhecidos, mas nem por isso menos arrepiantes, como o da Hungria e o da Roménia. Além disso, Fernando Rosas não hesita em colocar o Salazarismo na mesma categoria histórica, e explica-nos bem porquê.

Salazar e os Fascismos arrisca ainda uma tese sobre a actualidade:
— Que autoritarismos são estes que têm vindo a conquistar o poder desde 2016?
— De onde surgem e porquê?

Um livro escorado no passado, mas que remete para o futuro político das sociedades ocidentais. 


Ler mais

Autor

Fernando Rosas

Fernando Rosas é professor emérito da Universidade Nova de Lisboa e professor catedrático jubilado de História Contemporânea da NOVA FCSH. Foi fundador e presidente do Instituto de História Contemporânea. É autor de uma vasta obra historiográfica que, no tocante a Portugal, se centra sobre a Primeira República, o Estado Novo e a Revolução de 1974/1975. Foi autor e apresentador das séries televisivas História a História e História a História África (RTP2 e RTP África, 2016‑2017). Os seus trabalhos estão publicados em Espanha, França, Itália, Alemanha e Brasil. Entre as suas obras mais recentes editadaspela Tinta‑da‑china, destacam‑se Salazar e o Poder: A Arte de Saber Durar (Prémio Pen Club de Ensaio, 2012); Salazar e os Fascismos (Prémio de História Contemporânea da Fundação Calouste Gulbenkian/Academia Portuguesa de História, 2019); O Século XX Português (coord. de obra colectiva, 2020); A Revolução Portuguesa de 1974‑1975 (coord. de obra colectiva, 2022). Foi deputado à Assembleia da República e candidato à Presidência da República. Integrou a Comissão Instaladora do Museu do Aljube e é membro da Comissão Instaladora de Conteúdos e Acompanhamento Museográfica do Museu Nacional do Forte de Peniche. Recebeu a medalha do Ministério da Ciência em 2017. Em 2016, foi condecorado pelo presidente Jorge Sampaio com a Ordem da Liberdade.


Ler mais