Partilhar

Morrer é Não Ter Nada nas Mãos

Nuno Costa Santos

2 dias


Desconto: 10%
9,00 € 10,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Morrer É não Ter nada nas Mãos é o terceiro livro de poesia de Nuno Costa Santos e traz em epígrafe versos tirados dos Poemas Quotidianos, de António Reis, que significam todo um programa: “Eu não voo/ando/ quero que me oiçam”. E o que se ouve é uma poesia que a um céu majestoso prefere o caminho dos dias e das pedras. Se morrer é não ter nada nas mãos, viver é ter uma caneta para escrever. Sobre o desordenamento urbano e a vontade da ilha. Sobre a ironia, a beleza, os deuses, o striptease, as carraspanas de juventude e uma guerra colonial tóxica e igualmente mortal. Sobre as mãos, os amigos, a mesa e a poesia, essa questão que a linguagem tem com a vida. Cada poema pede uma forma própria, como se cada assunto e cada tópico exigissem um modo próprio de se desenrolar.

Ler mais

Autor

Nuno Costa Santos

Ler mais