Partilhar

Letra Encarnada/ A Teoria e o Cão/ Os Caminhos que Tomamos (Pack)

Outras Publicações

Nathaniel Hawthorne, O. Henry

Sujeito a confirmação por parte da editora


Desconto: 10%
16,20 € 18,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Nathaniel Hawthorne (1804-1864), descendente de um dos juízes responsáveis pela condenação à morte das “bruxas de Salem”, em 1862, preocupava-se muito com as questões relativas à moralidade e ao preconceito. Utilizou a sua pena como um bisturi para explorar os deleites e tormentos interiores das personagens que criou. Não se interessou muito por questões puramente éticas (aliás, os críticos sempre discutiram a posição moral do autor perante a infidelidade de Hester Prynne, portadora da letra encarnada) — as suas origens e sobretudo os seus efeitos na alma humana.
De tudo isto pouco ou nada poderia seduzir Pessoa, indiferente ao problema do bem e do mal em termos individuais, por achar que um ser humano — seja bom ou mau — é o resultado de forças exteriores que não controla. Há, porém, um ponto em comum com Hawthorne, cuja análise psicológica, com culpa ou sem culpa, acaba por ser auto-reflexiva. Assim, tanto num escritor como noutro, a tendência para analisar, incorporada em personagens mais ou menos autobiográficas, torna-os objecto da sua própria análise.

“Passou por nós uma mulher de cara aprazível e mundana; levava preso um cachorro amarelo, um bruto resfolegante, mal focinhado e oscilatório. O cão embrulhou-se nas pernas do Bridger e arreliou-lhe as canelas com uma mordedura rosnada e de má índole. O Bridger, num sorriso feliz, esvaziou-lhe os bofes com um pontapé; a mulher brindou-nos com um aguaceiro de adjectivos bem orientados que não deixavam dúvida sobre o nosso lugar na opinião dela; e fomos andando.”
Excerto do conto A Teoria e o Cão.

“O cofre explodiu no sentido de trinta mil dólares, ouro e notas. Os passageiros espreitaram vagamente pelas janelas a ver donde vinha a trovoada. O condutor puxou a correia, que lhe ficou lassa e caída na mão. O Dodson Tubarão e o Bob Tidball, com o espólio numa saca de lona forte, saíram do vagão e correram pesadamente, com suas botas altas, até à máquina.
O maquinista, amuado, mas prudente, correu velozmente a máquina, obedecendo a ordens, para longe do comboio parado. Mas, antes que isto estivesse feito, o guarda do rápido, tendo despertado do argumento com que o Bob Tidball lhe tinha imposto a neutralidade, saltou do vagão com uma Winchester e entrou no jogo.”
Extracto de Os Caminhos Que Tomamos.

 

Nota: Soma do preço dos livros, se comprados separadamente =  24.30 €

Ler mais

Autor(es)

Nathaniel Hawthorne

Ler mais

O. Henry

Ler mais