Partilhar

Descascando a Cebola

Günter Grass

Em Stock


Desconto: 20%
15,92 € 19,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Descascando a Cebola, a polémica autobiografia de Günter Grass, aborda a vida do escritor entre 1939 e 1959. Começa quando, ao completar 12 anos, a Alemanha entra em guerra. Confessa ter integrado as Waffen-SS quando a guerra já estava perdida para a Alemanha, mas o delírio ainda fazia supor outro destino para o seu povo e país. Grass relembra também a sua adolescência na destruída Alemanha do pós-guerra, a fome e as privações, o seu trabalho como mineiro e a decisão de exilar-se em Paris onde escreveu O Tambor, a obra que lhe deu notoriedade internacional e permitiu que recuperasse a auto-estima após a derrota.
Descascando a Cebola pode ser lido, também, como um relato trágico de uma época de barbáries, que aflora a partir de uma história pessoal e em que convive, ainda que com dor, o renascimento de uma Europa diferente, que voltava a viver depois dos bombardeios e das batalhas.

Ler mais

Autor

Günter Grass

Gunter Grass nasceu em 1927, na cidade de Danzig na Polónia, embora tenha nacionalidade alemã. Aos dezasseis anos foi recrutado pelo exército alemão para combater na II Guerra Mundial onde foi ferido em combate em 1944 e mais tarde aprisionado pelas tropas norte americanas. Libertado em 1946, passou por um período difícil trabalhando na agricultura, numa mina de potassa e como aprendiz de pedreiro. A experiência conseguida durante esse período fez com que se entusiasmasse pela vida criativa e em 1948 é admitido no curso de Pintura e Escultura da Academia das Artes de Düsseldorf.. Obteve grande reconhecimento a nível internacional após a publicação de “Die Blechtrommel” (1956). Continuou a escrever, publicando “Katz Und Maus” (1961) e “Hundejahre” (1963), que com “Die Blechtrommel”, formam a "Trilogia de Danzig". Alterna a actividade literária com a escultura, enquanto participa de forma activa da vida pública de seu país Contesta, desde o início, as ideias nazistas que o atraíram na juventude e é hoje considerado o porta-voz literário da geração alemã que cresceu durante o nazismo descrevendo-se a si mesmo como um Spätaufklärer, um devoto da iluminação numa era cansada da razão. A partir da década de 70, debruçou-se sobre temas de importância, como o pacifismo, a ecologia, o feminismo e o papel dos intelectuais na realização de um mundo melhor. Recebeu o Nobel da Literatura de 1999.

Ler mais