Partilhar

Desconto: 20%
26,39 € 33,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

A invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de Fevereiro de 2022, conferiu uma nova actualidade às questões de táctica e estratégia militar e, em particular, às concepções de Carl von Clausewitz (1780-1831).
Trata-se, com efeito, de um confronto entre dois Estados; um deles, a Rússia, procurando alargar o seu território e influência através do esmagamento do adversário, da sua destruição política e rendição incondicional.
Só que agora não se trata de uma guerra absoluta, tendo como objectivo as forças militares do inimigo, mas de uma guerra total, envolvendo também a população civil e as estruturas económicas, urbanas e sociais, sobre um fundo de ameaça de recurso a armas nucleares.
Em Da Guerra, tratado redigido no essencial entre 1816 e 1830, Clausewitz faz uma primeira tentativa ocidental para pensar o fenómeno da guerra. Nesse sentido, propõe uma teorização da acção militar entendida como instrumento da política.

Ler mais

Amostra

Autor

Carl Von Clausewitz

Carl von Clausewitz nasceu em 1780 em Burg, próximo de Magdeburgo, na Prússia. Ingressou no exército prussiano como porta-bandeira, participando na campanha do Reno de 1793 a 1794. Entrou para a Academia Militar de Berlim em 1801, onde estudou Kant. Aí atraiu a atenção do seu director, o general Scharnhorst, a quem mais tarde ajudou a reformar o exército prussiano.

Foi ferido e capturado durante a campanha de Iena e, durante o período em que serviu os Russos, desempenhou um papel importante nas campanhas de Moscovo de 1812 e 1813. Ao reintegrar-se no serviço prussiano, tornou-se chefe do estado-maior do corpo militar de Thielemann em Ligny. De 1818 a 1830, já nomeado general, foi director da Academia Militar de Berlim, a mesma em que se formara.

Morreu em Novembro de 1831. A sua obra principal, Da Guerra (Vom Kriege), foi publicada postumamente pela sua mulher, Marie von Clausewitz, em 1832.

Esta manteve o título escolhido pelo próprio Clausewitz, Da Guerra, nos três volumes surgidos até 1834. Evitou correcções. A partir da segunda edição de 1853, foram introduzidas algumas alterações pelo conde von Brühl, já que só o primeiro capítulo do Livro I fora definitivamente revisto por Clausewitz.


Ler mais