Partilhar

Uma Volta ao Mundo das Ideias Económicas, Será a Economia uma Ciência?

Fora de Coleção

António José Avelãs Nunes

Em Stock


Desconto: 70%
8,07 € 26,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

A ciência económica nasceu com o capitalismo, como Economia Política, como "ciência da burguesia", num período em que a burguesia ascendente, em luta contra a feudalidade, era a classe em condições de (e interessada em) analisar objectivamente a sociedade e a economia.
Entretanto, o conflito social dominante passou a desenvolver-se entre a burguesia industrial e a nova classe operária (o capital e o trabalho). Com Marx, a ciência económica assume-se como crítica da economia política, como "ciência do proletariado", passando da teoria do valor ricardiana ao conceito de mais-valia e de exploração.
Ameaçada a aspiração da burguesia à eternidade, o marginalismo veio criticar duramente a teoria do valor-trabalho, afastando da análise económica as classes sociais e a luta de classes, o poder, as estruturas do poder e as relações de poder, esquecendo os homens de carne e osso e centrando a análise económica no comportamento do homo oeconomicus, um "tolo racional", um ser incapaz de juízos morais, à margem da história.
Surgido dos escombros do capitalismo liberal, o keynesianismo teve os seus trinta anos de glória. A estagflação veio abrir caminho à contra-revolução monetarista e neoliberal, que tem alimentado o discurso de afirmação do mercado como mecanismo natural, não como um produto social (uma "instituição política"), e o discurso que visa a destruição do estado-providência, num regresso ao séc. XVIII.
Os resultados parecem anunciar o seu fim próximo. Neste tempo de espantosos êxitos da revolução científica e tecnológica, há razões para confiar no futuro dos homens. A economia precisa mais de filósofos do que de econometristas.
À ciência económica cabe encontrar um novo padrão de racionalidade.

Índice

1. Uma Volta ao Mundo das Ideias Económicas
2. Mercantilismo/Mercantilismos
3. Controvérsias Sobre o Mercantilismo
4. Os Fisiocratas ou o Início da Ciência Económica
5. Breve Reflexão Sobre Algumas Questões Teóricas Suscitadas pelo Tableau Economique
6. Adam Smith e a Teoria da Distribuição do Rendimento
7. A filosofia Social de Adam Smith
8. Ricardo e Marx. Continuidade e Rotura
9. O Marginalismo e a Rotura com a Perspectiva Clássica-Marxista
10. Da "Revolução Keynesiana" à "Contra-Revolução Monetarista"
11. Será a Economia Uma Ciência?

Ler mais

Autor

António José Avelãs Nunes

É Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Direito de Coimbra.

Foi Director do Boletim de Ciências Económicas (1995-2012); Director da Faculdade (1996-2000); Vice-Reitor da Universidade (2003-2009).

Foi Secretário de Estado no Ministério da Educação nos cinco Governos imediatamente posteriores à Revolução de 25 de Abril de 1974.

É Agraciado com Ordem do Rio Branco (Brasil) e com a Ordem Tudor Vladimiresco (Roménia).

Foi Observador estrangeiro convidado pelo Ministério da Educação do Brasil para participar na Comissão Trienal de Avaliação dos Cursos de Pós-Graduação em Direito, no âmbito da CAPES (2001, 2004 e 2007).

É Doutor Honoris Causa das Universidades Federais do Paraná, Alagoas e Paraíba e da Universidade de Valladolid, e Sigillo D’Oro da Università Degli Studi di Foggia.

É Membro Correspondente da Academia Brasileira de Letras Jurídicas; Vice-Presidente do Instituto de Direito Comparado Luso-Brasileiro (Rio de Janeiro) e Associado Honorário do CONPEDI.


Ler mais