Partilhar

Textos Libertinos

Mark Twain, Nuno SaraivaIlust.

Em Stock



13,30 €

Detalhes do Produto

Sinopse

«Nasci irreverente — como todas as pessoas que alguma vez conheci ou de quem ouvi falar — e assim espero conservar-me enquanto ainda houver irreverências reverentes de que escarnecer», rabiscou Mark Twain (1835-1910) num dos seus cadernos de apontamentos. Cumpriu com distinção esse voto, passando à história como um dos mais geniais e hilariantes escritores que a América produziu. Se pisou muitas vezes o risco do chamado bom-tom, Twain raramente transpôs a fronteira do pudor, fosse para dissecar tabus ou para dar rédea solta à obscenidade e ao melhor calão. Mas não deixou de o fazer ao longo da vida, como comprova este volume, que colige os quatro «textos libertinos» que se lhe conhecem: 1601, Algumas Reflexões sobre a Ciência do Onanismo, O Mastro Colossal e O Órgão de Um Tear — com exceção do primeiro, só divulgados após a morte do autor.

Ler mais

Autor(es)

Mark Twain

Pseudónimo de Samuel Langhorne Clemens, escritor norte-americano nascido em 1835, na Florida. Quando tinha 4 anos a família mudou-se para Hannibal, na margem do Rio Mississípi. O pai de Twain morreu em 1847 e ele tornou-se aprendiz de impressor (1847-55). Entre 1853-54 viajou pelos diversos estados, trabalhando como impressor. Após uma breve viagem ao Brasil, tornou-se piloto fluvial no Mississípi (1857-61). Nessa época adotou o pseudónimo de Mark Twain, que na linguagem de verificação da profundidade dos rios significa "duas marcas" na sonda. Foi jornalista e conquistou a atenção do público com o conto The Celebrated Jumping Frog of Calaveras County, publicado em 1865 num jornal e depois editado em livro com outros ensaios (1867). Em 1867 Twain visitou a França, a Itália e a Palestina, recolhendo material para o seu livro The Innocents Abroad (1869), que estabeleceu a sua reputação de humorista. Twain casou em 1870 e fixou-se em Hartford, Connecticut. Dois anos depois publicou Roughing It, e em 1873 The Gilded Age. Em 1876 foi publicada a primeira das suas grandes obras, The Adventures of Tom Sawyer, romance baseado nas experiências da adolescência do autor no Rio Mississípi. No seu livro seguinte, A Tramp Abroad(1880) o autor revisitou a Europa, regressando ao seu território com Life on the Mississippi. A obra-prima da carreira literária de Twain, The Adventures of Huckleberry Finn, foi publicada em 1884. O livro, que à semelhança de Tom Sawyer parecia um livro para jovens, constituía na realidade uma fábula da América urbana e industrial que na época de Twain ameaçava o sonho de liberdade junto da natureza. Huck representava muitas das aspirações da sociedade americana, com as quais o público facilmente se identificou. O romance estabeleceu definitivamente Twain como um dos grandes humoristas da literatura mundial. Entretanto foram publicadas outras obras do autor: A Connecticut Yankee in King Arthur's Court (1889), The Tragedy of Pudd'nhead Wilson (1894) e Personal Recollections of Joan of Arc (1896). A década de 1890 foi marcada por dificuldades financeiras e nos últimos anos de vida o gosto de Twain pela caricatura burlesca deu lugar a um pessimismo satírico. A dimensão irónica do mundo e em particular do sonho americano revelaram a nova paisagem americana em toda a sua materialidade. Twain morreu em Abril de 1910. A sensibilidade do escritor, dividida na transição da América para a era industrial, influenciou particularmente William Dean Howells, amigo próximo de Twain.

Ler mais

Nuno Saraiva

Nasceu em 1969, na Mouraria, em Lisboa. Colaborou, como ilustrador editorial, com praticamente toda a imprensa portuguesa, com especial destaque para o Inimigo Público, Expresso, Observador, Público, a Time Out, Humanista (revista da Amnistia Internacional) e Mensagem de Lisboa, onde é ilustrador residente. Está publicado pela Esfera dos Livros, Abysmo Bertrand, ASA, PIM! edições, entre outras. É professor de Banda Desenhada e de Cartoon Político no Ar.Co. Concebeu a imagem das Festas de Lisboa entre 2014 e 2018 e, desde então, os troféus das Marchas Populares. Participa na coleção Sardinha by Bordallo (Fábrica de Faiança Bordallo Pinheiro), com a sua Sardinha do Golaço, comemorativa do feito campeão da nossa seleção no Euro 2016. O seu livro Tudo Isto é Fado! (Museu do Fado), foi galardoado com o prémio Melhor Livro de BD 2016 (FIBDA). É ainda o ilustrador não oficial de vários murais em Lisboa. Ilustrou o livro Aníbal Milhais. O Herói Chamado Milhões, com texto de José Jorge Letria, para a coleção Grandes Vidas Portuguesas, coedição da Pato Lógico e da Imprensa Nacional.

Ler mais