Partilhar

20,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Um novo livro de Adalberto Alves que se insere na sua obra poética, espelhando uma voz singular, no panorama da poesia portuguesa contemporânea. Aqui, revisita, uma vez mais, temas que são caros e centrais na sua oficina poética, como sejam a condição humana, a natureza da criação literária e o enfoque metafísico.

Os seus versos são sem tempo, nem escola literária específica, e a sua matriz encontra-se na confluência da epistemologia e da ontologia. Todavia, a reflexão filosófica é sempre superada pelo sopro poético do universo interior do Autor. Numa época em que a Literatura busca, como moda, os caminhos da desconstrução, Adalberto Alves, de certa forma, navega em contracorrente, ao procurar reconstruir tudo no interior do Todo.

A sua obra poética e ensaística foi premiada, em 2008, pela UNESCO.

Ler mais

Autor

Adalberto Alves

Adalberto Alves deve ser dos poucos que, chegados ao Outono da sua vida, sabem que dentro de si arde uma chama de perpétua juventude, a conquista de se ter caminhado a si próprio. Chama que no seu olhar expressa-se com ser melancolia e compreensão, a de quem se reconciliou, depois de uma vida de combates, com o severo olhar do Tempo, pai de todos os deuses... Incansável viajante, árabe de coração e, quem sabe nas suas lembranças,... Enamorado, como todo o místico, dos resplendores da sua própria alma. Na sabedoria dos eremitas do deserto — ou dos morábitos do Portugal islâmico — ou nas entrelinhas do discurso de Krishnamurti, no qual desaparecem Amante e Amado, mestre e discípulo, ficando o homem desnudo envolto pelo silêncio.


Ler mais