Partilhar

Os Avós são as Pessoas Preferidas dos Pássaros

Raquel Patriarca, Sérgio Condeço (Ilustr.)

Em Stock



Desconto: 10%
11,66 € 12,95 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Os Avós são as Pessoas Preferidas dos Pássaros é uma proposta de viagem, entre nuvens e ternuras, pequenos detalhes e grandes milagres, na descoberta das maravilhas que unem avós e netos.

Rugas e sorrisos, tesouros escondidos em bolsos ou arcas ou sótãos, sonho e jogo, memória e entendimento, marotice e saudade.

É uma homenagem a todos os avós capazes de aprender a voar, e a todos os netos e netas que sentem a felicidade desse voo que os acompanhará sempre. Afinal, «os avós são para abraçar e um abraço é uma coisa que se faz com o coração.»


Ler mais

Amostra

Autor(es)

Raquel Patriarca

Raquel Patriarca (Benguela, 1974). Bibliotecária, documentalista, investigadora, contadora de histórias e escritora, é doutorada pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com uma tese sobre a história do livro infanto-juvenil em Portugal. É mediadora da leitura para o público mais jovem, e professora de futuros bibliotecários e arquivistas.

Não estando entregue a nenhuma das atividades atrás indicadas, estará, provavelmente, a fazer curadoria de coisas extraordinárias, como símbolos ou oficinas, a dizer poesia, a escrever cartas de amor por encomenda ou em viagem. É autora de livros sobre a História do Porto e de contos para a infância, alguns dos quais estão recomendados pelo Plano Nacional de Leitura. Tem participado em obras coletivas com textos livres, verbetes, contos, poemas e até um capítulo de um romance em folhetim.

Fez ou faz parte de projectos encantadores como o colectivo poético Vozes ou a Biblioteca Emocional, de ajuntamentos maravilhosos como as Correntes d'Escritas e os Livros a Oeste ou outros pontos cardiais, de festas de alegria como a Onomatopeia e o Têpluquê.

Em Setembro de 2022, publicou o seu primeiro livro de poesia, Cada gesto essencial, uma parte importante do seu projecto de vida porque, quando for grande, quer ser poeta.

Ler mais

Sérgio Condeço

Sérgio Condeço nasceu no Estoril, mas cedo foi para Moçambique, onde viveu a infância mais feliz. Recorda-se das chuvas torrenciais e do cheiro da terra molhada, das gargalhadas da sua mãe e do seu humor criativo. Era uma excelente fotógrafa e com ela experimentou os seus primeiros desenhos e fotografias.

Estudou Design têxtil no Porto, mas nunca sentiu gostar de nada para além de desenhar e imaginar a vida com fantasia e muitas cores. Por isso, decidiu dedicar-se à ilustração. Cada livro ilustrado é uma descoberta, um desafio onde o medo chega primeiro que a determinação. Todos os dias quando chega ao ateliê na sua vespa cor de laranja, abre a porta e pensa que nunca irá crescer verdadeiramente.

Participa em vários festivais de ilustração, exposições coletivas e individuais. Já ilustrou mais de uma dezena de livros, incluindo Porque não dormem os gatos?, A menina que queria desenhar o mundo e Quando for grande quero ser criança, O Som das coisas leves quando caem, todos na Nuvem de Letras. Com este último conquistou uma distinção no prestigiado Caminhos de Leitura 2022.

Ler mais