Partilhar

O Novíssimo Príncipe (Pack 3 livros)

Fora de Coleção

Adriano Moreira

Em Stock

Desconto: 10%
24,21 € 26,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Em 2009, a Almedina publica mais três obras do autor d’A Espuma do Tempo: O Novíssimo Príncipe, Tempo de Vésperas e Saneamento Nacional. Estes três textos retratam o antes e o pós 25 de Abril. Com a reedição destas três obras de referência, a Almedina continua a contribuir para a preservação da nossa memória colectiva.

O Novíssimo Príncipe, a pena de Adriano Moreira faz a análise da revolução, onde duas gerações chocam: «O tempo de uma geração que vivera a realidade do Império e dos seus valores de referência, o tempo da geração que assumiu a responsabilidade da mudança».

O Tempo de Vésperas reúne crónicas publicadas para o Jornal da Beira antes do 25 de Abril. Adriano Moreira reflecte sobre esses dias, opondo as mudanças avassaladoras em processo ao dia-a-dia do português comum: «o mundo continua onde estava, implacavelmente oferecendo a imagem do desastre.».

Em Saneamento Nacional Adriano Moreira documenta como foi alvo de um processo na Comissão de Saneamento da Revolução. Ao início dos excessos do período pós-revolucionário responde assim: «neste caso (..) parece indubitável que é o aparelho político (..) que está necessitado de um eminentíssimo e reverendíssimo saneamento.»


O Novíssimo Príncipe
164 pág.

“Tudo lhes pertence e nos cabe, porque a Pátria não se escolhe, acontece.­ Para além de aprovar ou reprovar cada um dos elementos do inventário secular, a única alternativa é amá-la ou renegá-la. Mas ninguém pode ser autorizado a tentar a sua destruição, e a colocar o partido, a ideologia, o serviço de imperialismos estranhos, a ambição pessoal, acima dela. A Pátria não é um estribo. A Pátria não é um acidente. A Pátria não é uma ocasião. A Pátria não é um estorvo. A Pátria não é um peso. A Pátria é um dever entre o berço e o caixão, as duas formas de total amor que tem para nos receber.”
Adriano Moreira


Saneamento Nacional
72 pág.

“A nossa pobreza de espírito nos poderá segurar o Reino do Céu, mas não sei se o da Terra. Se V. Ex.ª quer melhorar de seus achaques busque algum meio de não cuidar em Portugal, porque só este remédio podem ter os que o amam, e isto é em que eu ando cuidando há muitos dias.”
Padre António Vieira
Roma, 7 de Fevereiro de 1673


Tempo de Vésperas
114 pág.

“C’est une chose terrible d’être né,­­ c’est-à-dire de se trouver irrévocablement emporté, sans l’avoir voulu, dans un torrent d’énergie formidable qui paraît vouloir détruire tout ce qu’il entraîne en lui.”
Teilhard de Chardin
Hymne de l’Univers

Ler mais

Autor

Adriano Moreira

Adriano Moreira nasceu em Grijó de Vale Benfeito em 1922. É doutor honoris causa por várias universidades, catedrático pela Universidade Técnica de Lisboa, detentor de várias condecorações e de um percurso académico de referência. Foi também um activo actor político, tendo sido ministro do Ultramar durante o Estado Novo e presidente do Centro Democrático Social (CDS) após o 25 de Abril. É o actual presidente da Academia das Ciências de Lisboa e autor de várias obras ensaísticas e históricas ou de Direito, como «Saneamento Nacional», «Ciência Política», «Direito Internacional Público» ou «Teoria das Relações Internacionais». Em 2009 publicou a obra biográfica, «A Espuma do Tempo». É colunista do Diário de Notícias. Recebeu, em 2010, o Prémio Pedro Hispano, que distingue a figura do ano na área da Cultura, da Arte e das Letras. CURRICULUM VITÆ ==>> Entrevista de vida, por Sara Capelo

Ler mais