Partilhar

História da Arte Luso-Brasileira, Urbanização e Fortificação

Fora de Coleção

Pedro Dias

Disponibilidade Imediata

Desconto: 10%
65,61 € 72,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Nota Prévia

O livro que agora apresentamos é fruto de um estudo continuado e sistemático da arte de matriz europeia, no território do Brasil, do tempo em que esteve integrado nos domínios portugueses de além-mar. Na verdade, começou a ser pensado há já mais de vinte e cinco anos, quando iniciámos a leccionação, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, da disciplina de História da Arte Portuguesa, que tinha então acabado de perder a referência expressa à parte Ultramarina, na sequência dos acontecimentos políticos da época. A sua preparação efectiva, no entanto, só foi iniciada, em 1989.
Coube-nos substituir o Professor Doutor António Nogueira Gonçalves, nosso querido e saudoso mestre, então jubilado, cujas aulas incidiam não só sobre a produção artística do Portugal de hoje, mas também dos antigos territórios de além-mar, do Brasil-Português até à índia, passando pela África e pelas Ilhas Atlânticas. Anos depois, a disciplina de História da Arte Portuguesa cindiu-se em duas, com a criação da História da Arte Colonial, e hoje, há já três cadeiras dedicadas à Arte do território metropolitano e uma à das terras da Expansão. A preparação das matérias que leccionávamos levou-nos a deambular por essas paragens remotas, vendo e estudando as memórias materiais da passagem dos Portugueses, da nossa soberania, ou apenas dos contactos dos povos locais com os Europeus que aí chegaram e se instalaram, por mais ou menos tempo. O Brasil, por razões óbvias, foi sempre o pedaço de Mundo a que prestámos mais atenção, onde estivemos em viagens de estudo por mais tempo, sendo raro o ano que aí não passássemos algumas semanas, correndo cidades, vilas e aldeias, trabalhando em bibliotecas e arquivos e fotografando paisagens, gentes e monumentos.
Deste modo, com os olhos habituados a ver e estudar a Arte do Reino - e a montante desta, a dos principais centros europeus -, conhecendo bastante bem as de outras terras que conformaram o espaço imperial em que o Brasil se incluía e com as quais se relacionava, e não deixando de ir às áreas de colonização espanhola, da Colômbia ao Uruguai, da Argentina ao Equador, julgámos ter acumulado um razoável conhecimento dos fenómenos artísticos coloniais que nos permitisse fazer esta síntese da Arte Brasileira, mas vista do lado de cá, com o olhar europeu. […]

Índice

Nota Prévia
Introdução

Capítulo I. Os Primeiros Centros Urbanos e suas Construções Defensivas
Capítulo II. O Desenvolvimento da Fortificação Regular
Capítulo III. Adopção Definitiva das Fortificações Regulares
Capítulo IV. Urbanização

Ler mais

Autor

Pedro Dias

Ler mais