Partilhar

Urso Castanho, Urso Castanho, O Que Vês Aqui

Bill Martin Jr., Eric Carle

Temporariamente Indisponível



Desconto: 10%
10,55 € 11,73 €

Detalhes do Produto

Sinopse

«- Urso Castanho, Urso Castanho, o que vês aqui?

- Vejo um pássaro vermelho a olhar para mim.

- Pássaro Vermelho, Pássaro Vermelho, o que vês aqui?»

O leitor é levado, logo desde o início, a continuar as perguntas e as respostas desta história, que depressa se transforma numa divertida brincadeira para pequenos e graúdos. Os traços inconfundíveis do estilo de Eric Carle dão relevo às coloridas personagens, forjadas através da técnica colagem, à medida que estas vão passando o testemunho umas às outras. Vislumbramos primeiro um Urso Castanho que, por sua vez, vê um pássaro vermelho a olhar para ele. Ao virar a página, é agora esse pássaro vermelho que aponta para um cavalo azul… E assim por diante até ao final em que uma professora vê os seus alunos a olhar para ela. Caberá a eles o desafio final ao serem encorajados a evocar todos os animais já retratados no álbum e as respetivas cores.

O colorido exuberante e a narrativa rítmica de estrutura encadeada constituem o cenário perfeito para a aprendizagem das cores e dos nomes dos animais da floresta e da quinta.

Ler mais

Autor(es)

Bill Martin Jr.

Ler mais

Eric Carle

Eric Carle (Siracusa, Nova Iorque, 1929): Autor de mais de 70 livros, Eric Carle começou a ilustrar em 1967, depois de trabalhar numa agência publicitária. Estudou na prestigiada escola de arte Akademie der Bildenden Künste, na Alemanha, país onde residiu na sua infância. Regressou aos EUA em 1952, onde trabalhou como designer gráfico no «The New York Times». Ao primeiro livro de sua completa autoria «1,2,3, to the Zoo» (1968), seguiu-se o famoso «The Very Hungry Caterpillar». Foi galardoado com os prémios da Feira Internacional do Livro Infantil de Bolonha, da Associação de Livreiros Infantis e da Associação Americana de Bibliotecas. Eric Carle afirmou: «Creio que a passagem de casa para a escola é o segundo maior trauma da infância; o primeiro, certamente, é nascer. Em ambos os casos trocamos um ambiente caloroso e protetor por outro desconhecido. Acredito que as crianças são criativas por natureza e capazes de aprender. Nos meus livros tento minimizar esse temor, substituí-lo por uma mensagem positiva. Quero mostrar-lhes que aprender é realmente fascinante e divertido.»

Ler mais