ENVIOS GRÁTIS - Para compras de 20/11 a 16/12. Devolução prolongada até 30/01/2021. Ver condições

Partilhar

Desconto: 10%
15,92 € 17,69 €

Detalhes do Produto

Sinopse

«Hipnótico, lírico e palpitante de energia negra.» — The Times

Um livro perturbador e actual, descrito como uma obra-prima pela crítica, que reconstrói ficcionalmente a história das meninas raptadas pela seita jiadista Boko Haram.

Numa terrível noite, Maryam é raptada na escola e feita escrava por uma seita jiadista, tornando-se testemunha e vítima de atos brutais cometidos em nome de uma ideologia. Roubada da sua inocência e dignidade, ela, apenas uma menina, resiste valorosamente, até que, de forma inesperada, as portas para a liberdade se abrem. Contudo, novas provações e horrores se escondem: nos caminhos da floresta selvagem, que devolve Maryam, já com uma filha nos braços, e numa sociedade marcada pela guerra e pelo preconceito.

Escrito com base num artigo de jornal sobre as meninas raptadas pelo Boko Haram na Nigéria, Menina é um romance perturbador, que confronta o leitor com a natureza humana do mal. Uma obra-prima no dizer da crítica, na qual Edna O’Brien desafia as convenções da ficção, continuando a explorar os seus temas de eleição: a violência de género e a misoginia perpetuadas em nome das convenções sociais e da religião.

A autora é uma das mais importantes e admiradas escritoras de língua inglesa, e vencedora de inúmeros prémios literários, entre os quais se contam: The Irish PEN Lifetime Achievement Award for Literature, The American National Art's Gold Medal, Ulysses Medal e PEN/Nabokov Award for Achievement in Literature.

«Uma narrativa emocionante, atroz e, ao mesmo tempo, magnífica.» — Le Monde

«Uma obra-prima, uma história violenta de perda e redenção poderosamente contada pela voz singular de O’Brien.» - The Irish Times


Ler mais

Autor

Edna O'Brien

Edna O'Brien nasceu em 1930, na pequena aldeia irlandesa de Tuamgraney, mudando-se depois para Dublin e, sucessivamente, para Londres onde deu início à sua carreira de escritora. A censura de que os seus livros foram alvo, chegando a sua venda a ser proibida, de resto à semelhança dos seus ilustres antecessores James Joyce e Frank O'Connor, não impediu que a autora alcançasse fama e reconhecimento. Foram-lhe atribuídos inúmeros prémios e distinções, incluindo o Irish PEN Lifetime Achievement Award for Literature, o American National Arts Gold Medal, a Ulysses Medal e o PEN/Nabokov Award for Achievement in International Literature.

Ler mais