Partilhar

Escalas do Levante

Amin Maalouf

Envio em 10 dias



Desconto: 10%
15,21 € 16,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Escalas do Levante era o nome que se atribuía antigamente ao rosário de cidades mercantis através das quais os viajantes da Europa chegavam ao Oriente. 

De Constantinopla a Alexandria, passando por Esmirna, Adana ou Beirute, essas cidades foram, durante muito tempo, lugares de mistura onde conviviam línguas, costumes e crenças. Universos frágeis a que a História lentamente deu forma antes de os derrubar, quebrando, de passagem, inúmeras vidas.

A personagem central deste romance, Ossyane, é um desses homens de destino desviado. Da agonia do Império Otomano às duas guerras mundiais e às tragédias que, ainda hoje, dilaceram o Médio Oriente, a sua vida não pesará mais do que uma palha na tempestade. Pacientemente, recorda a sua infância principesca, a avó demente, o pai revoltado, o irmão desonrado, a sua estada na França ocupada e o encontro com a sua amada fugitiva, Clara, os seus momentos de fervor, de heroísmo e de sonho. E, depois, a descida aos infernos.

Despojado do seu futuro e da sua dignidade, privado das alegrias mais simples, que lhe resta? Um amor à espera. Um amor tranquilo, mas poderoso. Talvez, no fim de contas, mais poderoso do que a própria História.


Ler mais

Autor

Amin Maalouf

(Líbano, 1949) É um prestigiado escritor francês e, desde 2011, membro da Academia Francesa (onde foi preencher a vaga deixada pela morte de Lévi-Strauss). Dedicou grande parte da sua produção ao romance com vários títulos publicados e especial apetência predileção pelo romance histórico, entre os quais se destacam Leão, o Africano, Samarcanda ou o Périplo de Baldassare. O romance Le rocher de Tanios valeu-lhe o Prémio Goncourt em 1993. Mas também se aventura pelo ensaio: As Cruzadas Vistas pelos Árabes (1983, Prémio Maisons de la Press), Identidades Assassinas (1998) ou Um Mundo sem Regras (2009). Além disso, foi jornalista e chefe de redação da Jeune Afrique, embora se tenha iniciado no An-Nahar, em Beirute, em 1975, antes de se mudar para Paris. Em 2010 recebeu o Prémio Príncipe das Astúrias pela sua obra.

Ler mais