Partilhar

Enciclopédia de Economia

Vários

Sujeito a confirmação por parte da editora


Desconto: 20%
37,06 € 46,32 €

Detalhes do Produto

Sinopse

A presente obra é, basicamente, a tradução do livro The Fortune Encyclopedia of Economics, editado por David R. Henderson na Warner Books e publicado em 1993. A qualidade e o sucesso do volume, juntamente com o valor dos seus autores, eram motivações suficientes para esse esforço. No entanto, não parecia conveniente fazer uma simples tradução. A razão dessa opção não advinha, naturalmente, das orientações editoriais da obra original nem do conteúdo dos artigos que a compu-nham. Aí não havia razões para adaptação. Mas o livro original tinha sido, indiscutivelmente, pensado para a realidade americana. E a linha muito pragmática e aplicada da enciclopédia fazia com que alguns textos, de excelente qualidade, soassem um pouco estranhos a um leitor português. Esse facto - e só ele - recomendava uma certa revisão que, no entanto, não deveria comprometer a inspiração e a estrutura da obra.
Deste modo, foi tomada a opção de fazer, não uma "tradução portuguesa", mas uma "edição portuguesa" da Enciclopédia Fortune. O projecto nasceu na revista Economia Pura e no seu empreendedor director Álvaro de Mendonça. Foi ele quem teve a ideia, reuniu os meios e dinamizou o trabalho. Conseguiu captar a jovem editora Principia e a sua entusiástica equipa, dirigida por Henrique Mota. Ambos, finalmente, convenceram o professor David Henderson a permitir que o seu volume fosse traduzido e adaptado para Portugal. Estas três pessoas constituem a alma do projecto da Enciclopédia de Economia. A eles não se dirigem agradecimentos, porque uma realidade não agradece a si mesma. O mérito da inspiração chega para lhes desculpar a escolha do coordenador da edição portuguesa. Mas, nessa qualidade, recrutado para apoiar a realização de tão grande projecto, a minha gratidão é profunda.
Os agradecimentos começam aqui, mas não ficam por aqui. Num trabalho deste tipo, o coordenador é o que acaba por ter menos para fazer e mais para agradecer. A redacção da edição portuguesa, que me competia coordenar, era composta por duas grandes tarefas. A primeira era a tradução do texto americano.
Encarregou-se desse pesado e espinhoso encargo a Maria do Carmo Figueira, que o fez com brilho e aplicação. Do enorme trabalho de revisão técnica da tradução ocupou-se quase exclusivamente Sofia Duarte Silva, que assim partilha grande par-te da responsabilidade de coordenação da obra. Os seus rigor e exigência garanti-ram a excelente qualidade do resultado. O agradecimento aqui vem na medida da enorme dimensão física da sua tarefa.
O segundo trabalho era a realização dos novos textos "portugueses". Mas ele vinha antecedido pela parte mais dolorosa de todo o projecto: a selecção dos arti-gos originais a eliminar. A limitação do total de páginas que a editora impunha obrigava a um sacrifício de excelentes textos americanos para conseguir inserir trabalhos de autores nacionais que prometiam grandes benefícios. Esta decisão acabou por ser um difícil exercício de escolha económica, equilibrando ganhos e perdas. Do resultado julgarão os leitores.
No final desta fase estava pronta uma lista de 31 textos que era preciso redigir originalmente em português. À frente do título de cada um desses textos havia o nome de um autor que o coordenador pensava ser o mais indicado para o conceber e realizar. E se a fase anterior foi a mais difícil, esta foi a mais gratificante. A adesão dos autores portugueses foi generosa e quase surpreendente. A esmagadora maioria dos convidados aceitou imediatamente. A pouco e pouco, a lista de nomes da primeira escolha passava de proposta esperançosa a realidade. O meu agradecimento crescia de forma correspondente. E a gratidão foi ainda maior quando a quase totalidade dos autores entregava textos excelentes próximo do prazo combinado. A tarefa do coordenador, que já era reduzida, ficou enormemente facilitada.
Este trabalho, que no total ultrapassou um ano de esforço de muita gente, foi empreendido por uma única razão: a necessidade de disponibilizar aos interessa-dos em temas económicos uma obra de referência na disciplina que fosse, ao mes-mo tempo, útil, rigorosa, abrangente e aplicada. A escassez que neste campo se sentia em Portugal era sentida por muitos. Esperamos que agora essa necessidade esteja, em grande medida, satisfeita. Falta apenas um agradecimento. Ao leitor, que pôs a sua confiança nesta larga e prestigiada equipa.
João César das Neves in Apresentação da Edição Portuguesa

Ler mais

Autor

Vários

Ler mais