Partilhar

Carlos Antunes - Memórias de um Revolucionário

Isabel Lindim

Em Stock



Desconto: 20%
13,52 € 16,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Figura polémica antes e depois do 25 de Abril, Carlos Antunes entrou na clandestinidade aos 21 anos para combater o Estado Novo. Viveu em Paris e Bucareste, onde foi responsável pela Rádio Portugal Livre, uma emissora do Partido Comunista Português que fazia oposição à ditadura, com um noticiário transmitido em onda curta a partir da Roménia. Em 1970, declarando-se «anti-estalinista», rompeu com o partido de Cunhal em protesto pela invasão soviética da Checoslováquia. Já sem a rede do PCP, formou as Brigadas Revolucionárias, que seriam responsáveis por vários atentados, e viu o seu nome ser divulgado pela PIDE como o de um delinquente perigoso. Ainda assim, conseguiu evitar a cadeia até à revolução de 1974. Seria já em democracia que acabaria preso, acusado de autoria moral de assaltos a bancos e da decapitação de uma estátua de Salazar em Santa Comba Dão. Neste livro de memórias relatadas na primeira pessoa e recolhidas pela sua enteada, Isabel Lindim, conhecemos a vida, as motivações e os ideais de um dos revolucionários mais inconformados da história recente de Portugal. “Nós achávamos que a Guerra Colonial era um fator de rutura com o regime. Portanto provocar a destruição de meios e de material, impedir o exército de se organizar para fazer a guerra era não só um dever de solidariedade com os povos das colónias, mas também um ato imediatamente percebido pelos soldados e pela população.” “Por mais curioso que seja, se nós atingirmos o inimigo e lhe demonstramos que ele está à nossa mercê, mas que lhe poupamos a vida, criamos-lhe uma situação de grande insegurança.”

- Carlos Antunes


Ler mais

Autor

Isabel Lindim

ISABEL LINDIM nasceu em 1972, em pleno auge das ações das Brigadas Revolucionárias (BR), e as suas origens fundem-se com os acontecimentos da época imediatamente anterior e posterior ao 25 de Abril. Jornalista, colaborou em publicações como Grande Reportagem, Visão, Lecool, Setenta e Quatro e Green eFact, além dos programas de televisão Pop Up (RTP) e À Descoberta Com... (SIC). É autora dos livros Mulheres de Armas, sobre as ativistas das BR (Objetiva, 2012) e Portugal, 2071: o impacto das alterações climáticas no país que os nossos filhos vão herdar (Oficina do Livro, 2021). Nos últimos anos, tem‑se dedicado à investigação e à escrita sobre temas relacionados com o ambiente e a memória. Em 2007, iniciou um trabalho de recolha e organização de documentos das BR e do Partido Revolucionário do Proletariado (PRP), tendo daí nascido o presente livro.

Ler mais