Partilhar

Os Camisas Azuis e Salazar - Rolão Preto e o Fascismo em Portugal

António Costa Pinto


Versão em Ebook

Instruções de funcionamento


Desconto: 20%
13,59 € 16,99 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Em Fevereiro de 1932, um grupo de estudantes fascistas criou em Lisboa um jornal académico, A Revolução. Quase todo o grupo fundador pertencia ao sector estudantil do Integralismo Lusitano, movimento monárquico de direita radical, fundado nos anos 10, sob inspiração da Action Française. Meses mais tarde, o grupo decidiu convidar para seu director Francisco Rolão Preto, o membro da Junta Central do Integralismo Lusitano que se encontrava mais próximo do ideal fascista que todos professavam. Lançado no Verão desse ano, o Movimento Nacional-Sindicalista rapidamente se organizou à escala nacional, sob a chefia carismática de Rolão Preto.
O Nacional-Sindicalismo, expressão do fascismo enquanto movimento em Portugal, foi um fenómeno político tardio. Fundado em 1932, em plena transição para um regime autoritário, representa o último combate de uma «família política» que desempenhou um papel importante no processo de crise e de derrube do liberalismo português, mas que foi secundarizada na edificação de uma alternativa ditatorial estável no início dos anos 30. Tão estável que a resolução desta crise acabaria por produzir uma das ditaduras de direita mais longa da Europa do século XX.

VER POR DENTRO Ver página inteira

Ler mais

Autor

António Costa Pinto

Investigador Coordenador no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e Professor Convidado no ISCTE-IUL. Doutorado pelo Instituto Universitário Europeu, foi Professor visitante nas Universidades de Stanford (1993), de Georgetown (2004) e do Instituto de Estudos Políticos (Paris) (1999-2003), e Investigador visitante nas Universidades de Princeton (1996) e da Califórnia-Berkeley (2000 e 2010). Foi presidente da Associação Portuguesa de Ciência Política, sendo as suas principais áreas de investigação o fascismo e o autoritarismo, a democratização e a descolonização, as elites políticas e o estudo comparativo das mudanças políticas na Europa. Publicou recentemente  O Passado Que Não Passa. A Sombra das Ditaduras na Europa do Sul e na América Latina (co-direcção, Civilização Brasileira, 2013) e História Contemporânea de Portugal (co-direcção, MAPFRE/Objetiva, 2013-2015, 5 volumes).

Ler mais