Partilhar

Obras Completas De Luiz Vaz De Camões - I Volume Épica & Cartas

Maria Vitalina Leal de Matos


Versão em Ebook

Ebook Adobe Digital Editions
Instruções de funcionamento



Desconto: 20%
15,92 € 19,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

A primeira edição das obras completas de Camões em mais de 40 anos, preparada pela maior especialista no autor. Didivida em dois volumes, «Épica & Cartas» e «Lírica & Teatro» (Outubro de 2017), esta é a primeira edição da obra de Camões em várias décadas. Pensada como um todo que recolhe todo o corpus de obras do autor. A edição das Obras Completas é apresentada com diversos materiais de apoio: introduções a cada uma das partes/géneros da obra do autor, uma biografia de Camões e uma introdução geral, um conjunto de importantes notas explicativas e de contexto, que formam um guia de leitura da obra. Maria Vitalina Leal de Matos é a maior especialista na obra de Luiz Vaz de Camões e preparou esta edição utilizando um saber acumulado, resultado de décadas de investigação, que fazem desta edição a definitiva da obra do vulto maior das letras lusas que foi e é Camões. Esta edição tem o alto patrocínio da Presidência da República Portuguesa. Autores: Luiz Vaz de Camões (c. 1524 - 1679 ou 1580) é o poeta nacional português por excelência e um dos grandes nomes da literatura europeia do Renascimento. Pouco ou nada se sabe sobre a sua família, infância e juventude. Terá sido educado nas formas de cultura clássicas e também na literatura moderna, o que se depreende da sua posterior produção literária. Soldado, aventureiro, mulherengo apaixonado, Camões esteve em África e no Oriente português. Envolveu-se em polémicas e com mulheres casadas, esteve preso por diversas vezes e produziu uma das mais importantes obras literárias no quadro da literatura europeia da época. «Os Lusíadas» é uma das obras mais traduzidas da literatura portuguesa e reconhecida como uma das mais poderosas e brilhantes epopeias da literatura do renascimento europeu. A sua lírica e teatro são igualmente notáveis e invulgares, e as cartas um testemunho histórico valiosíssimo. *** Considerada a mais importante camonista viva, Maria Vitalina Leal de Matos foi professora da Faculdade de Letras de Lisboa, onde leccionou várias cadeiras de Literatura Portuguesa, com que está relacionada a sua produção ensaística. Vive em Lisboa, e durante alguns anos habitou em Paris e em Áquila (Itália). Em 2009, publicou dois livros de poesia, Incandescências e Uma pequena voz (Ed. Colibri), e um guião para um espectáculo, A Paixão segundo Fernando Pessoa (na mesma editora). Estreou-se no romance em 2010, com Camões, Este meu duro génio de vingança (Arcádia, Babel). Em 2013 publicou o livro de prosas poéticas Prosas Desfocadas (4Águas Editora). Continua a escrever ensaio, poesia e romance. O livro Secretário. Memórias, saiu pela BookBuilders, em 2016. Sobre Camões, a sua bibliografia é extensíssima e espalha-se por largas dezenas de artigos, ensaios, volumes colectivos, edições críticas, comentadas, e obras individuais.

Ler mais

Autor

Maria Vitalina Leal de Matos

Professora universitária, investigadora e ensaísta, licenciou-se e doutorou-se na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, tendo apresentado como dissertação de doutoramento uma tese sobre O Canto na Poesia Épica e Lírica de Camões: Estudo da Isotopia Enunciativa. Durante a sua formação anterior ao doutoramento, frequentou em Paris seminários da École Pratique des Hautes Études, tendo trabalhado sob a orientação de A. J. Greimas e Gérard Genette. É professora catedrática daquela Faculdade de Letras desde 1981. Tem-se consagrado regularmente à docência universitária, sobretudo no âmbito da Literatura Portuguesa Clássica, privilegiando em especial os estudos camonianos, para cuja renovação e aprofundamento tem contribuído decisivamente. Dirigiu a Revista da Faculdade de Letras entre 1986 e 1988. Membro de diversas associações culturais e outras organizações portuguesas e estrangeiras, designadamente do Conselho Geral da Comissão Nacional da UNESCO (1985-1988) e da Comissão Nacional da Língua Portuguesa (1989), proferiu inúmeras conferências, tanto em Portugal como noutros países da Europa e no Brasil, participou em múltiplas reuniões científicas e publicou ensaios nas revistas Estudos Portugueses, Oceanos, Românica, Arquipélago, Brotéria, nos Arquivos do Centro Cultural Português, etc. Colaborou no Dicionário de Literatura (dirigido por Jacinto do Prado Coelho), no Dicionário Biográfico Universal de Autores e na Biblos: Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Em 1998 fez parte do júri do prémio da crítica da Associação Internacional dos Críticos Literários. É comendador da Ordem do Mérito e «officier de l'Ordre National du Mérite» (França). In DGLB online

Ler mais