Partilhar

Como o Capitalismo Acabou com a Classe Média

Santiago Camacho

Sujeito a confirmação por parte da editora

Desconto: 20%
14,39 € 18,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

«É absolutamente utópico encontrar uma solução para os males que afetam a economia quando se ignoram sistematicamente as suas causas, que não são o défice público, nem a dívida, nem evidentemente que os cidadãos vivam acima das suas possibilidades, mas a natureza essencialmente corrupta de uma parte substancial do sistema financeiro e a sua relação com os poderes políticos que o deveriam regular.» O capitalismo está a matar a classe média. O desemprego não para de crescer, as desigualdades entre ricos e pobres acentuam-se, quem ainda tem trabalho perdeu o poder de compra, afogado em impostos e em cortes salariais, a bem da austeridade, há uma redução no acesso a serviços públicos outrora garantidos e surgem os chamados, novos-pobres, pessoas que até há algum tempo viviam confortavelmente, e que hoje não têm o que comer. O medo instalou-se na nossa sociedade. A vida como a conhecíamos é agora uma miragem longínqua. Mas afinal para que servem os sacrifícios dos portugueses? O jornalista Santiago Camacho põe o dedo na ferida. Apesar de serem o pilar fundamental da sociedade e o motor da economia, estas pessoas não foram beneficiadas por resgastes financeiros, nem por injeções de capital, linhas de crédito e outras regalias como os bancos, um dos principais causadores da atual situação. Portugal negociou com a Troika um empréstimo financeiro de 78 mil milhões de euros, dos quais 12 mil milhões são destinados exclusivamente à recapitalização da banca... Então, porque é que há dinheiro para entidades financeiras, manchadas por negócios duvidosos enquanto a classe média paga a fatura sem ver um cêntimo? Porque é que esta classe luta para sobreviver, enquanto as classes altas conseguem escapar às rigorosas medidas de austeridade, nomeadamente através da transferência de avultadas quantias de dinheiro para paraísos fiscais, que continuam por fiscalizar, mas que representam o esconderijo de um quarto da riqueza privada mundial? Numa linguagem direta e arrojada, o jornalista Santiago Camacho, autor da obra A troika e os 40 ladrões, analisa o modo como o capitalismo, através de jogadas económicas e financeiras arriscadas e dos interesses políticos dominantes, coloca em causa a estabilidade económica e social mundial, principalmente nos países do Sul da Europa. É preciso pensar esta crise económica, quem beneficia com o fim da classe média. Observar de forma crítica o papel que a Alemanha tem vindo a desempenhar, olhar para as economias emergentes, como o Brasil ou a poderosa China, que tenta roubar o protagonismo aos Estados Unidos, no plano económico mundial. E delinear cenários difíceis, mas possíveis, para um futuro que os políticos nos teimam em esconder…

Ler mais

Autor

Santiago Camacho

Ler mais