Partilhar

As Origens e os Futuros da Cidade Criativa

Charles Landry

5 dias

Desconto: 20%
7,20 € 9,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Charles Landry é uma autoridade internacional reconhecida ao introduzir na década de 80 o conceito de «Cidade Criativa» que se transformou num movimento global e levou a uma mudança na forma das cidades pensarem nas suas capacidades e recursos urbanos. Trabalhando com a UNESCO, preocupado com o futuro das cidades e o uso criativo dos seus recursos na revitalização urbana, aconselha as cidades, trabalhando com elas como um «amigo crítico».

Esta publicação procura integrar de forma sumária as principais agendas e os movimentos de pensamento que moldam as cidades hoje em dia e que vão ter um impacto no seu futuro. A cidade enfrenta uma crise crescente que não pode ser resolvida por uma «atitude conformista». Problemas complexos, o desafio de convivermos com uma grande diversidade e diferença, abordando a agenda da sustentabilidade e a crise financeira global, são algumas das prioridades futuras da criatividade. A curiosidade, a imaginação e a criatividade são condições prévias para que as invenções e inovações se desenvolvam, problemas urbanos difíceis sejam resolvidos e se criem oportunidades interessantes. Libertar a criatividade dos cidadãos, das organizações e da cidade é um processo que capacita e dá poder. Este processo aproveita o potencial e é um recurso fundamental. É uma nova forma de capital e uma divisa por direito próprio.

«“A Criatividade é um recurso renovável, o Património não.” Naturalmente, o Património pode ser reinterpretado, mas o património físico, quando desaparece, desaparece. A Criatividade pode ajudar-nos a encontrar várias soluções para os problemas e pode gerar oportunidades. A Criatividade emerge da criação das condições adequadas para que pessoas de todos os sectores da sociedade possam pensar, planear e agir com imaginação. A transformação urbana é um exercício de equilíbrio, no qual são criados dilemas que têm que ser resolvidos. Uma dinâmica mais harmoniosa exigiria um conjunto de valores e princípios orientadores, uma ética social, além de clareza, incentivos e... o Património. Valorizar o património ajuda a criar uma sensação de ancoragem, identidade e pertença.» – CHARLES LANDRY

Ler mais

Autor

Charles Landry

Ler mais