Partilhar

Desconto: 10%
13,41 € 14,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

A causa é geralmente entendida: é "o amor ou a justiça," mas não "o amor e a justiça." Em linguagem corrente, e até mesmo a um nível superior de reflexão, a fortiori quando os dois conceitos são apresentados como estando em conflito, não há, não pode haver, pontes entre a prática individual do amor ao próximo e a prática colectiva da justiça que estabelece a igualdade e equidade. Favoreça-se um ou outro, a ênfase incide na desproporção entre amor e justiça. Qualquer pensamento de Paul Ricoeur tende a demonstrar a proporção, as ligações, a dialéctica profunda, a tensão viva e fecunda entre amor e justiça que emerge no momento da acção, e que ambos reivindicam. Ambos estão contidos numa economia da dádiva, que excede a ética de que se pretendem as figuras e pela qual se sentem responsáveis. A lógica da superabundância está constantemente a desafiar, sem nunca se ter tornado menos necessária, uma lógica de equivalência.

Ler mais

Autor

Paul Ricoeur

Paul Ricoeur (1913-2005) foi um dos maiores filósofos e pensadores franceses do pós-guerra. Deu aulas em várias universidades (Estrasburgo, Sorbonne, Nanterre, Lovaina, Chicago) e escreveu uma obra vastíssima e polifacetada, com contribuições importantes para diversas áreas, das quais se destacam a ética, a hermenêutica, a fenomenologia, a psicanálise, a história, a teoria literária, a teoria crítica, a filosofia política e os estudos bíblicos. Dele Edições 70 publicou Teoria da Interpretação, A Simbólica do Mal, Discurso da Ação, Amor e Justiça, Vivo até à Morte, A Crítica e a Convicção, Diálogo sobre a História e o Imaginário Social (com Cornelius Castoriadis) e ainda O Homem Falível.

Ler mais