Partilhar

Electra Nº 11

Vários

Em Stock


Desconto: 10%
8,10 € 9,00 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Na secção “Primeira Pessoa”, o historiador indiano Dipesh Chakrabarty, figura eminente dos estudos pós-coloniais e autor de um livro que teve uma forte repercussão internacional, Provincializing Europe, é entrevistado pelos historiadores José Neves e Marcos Cardão.

Kara Walker, uma das mais destacadas artistas contemporâneas, é a autora do Portfolio desta edição de Electra. Partindo de questões como as de género e de identidade, ou de temas como os do racismo e da violência, este trabalho artístico olha-os nas suas complexidades e contradições. As obras apresentadas (desenhos a tinta, grafite e aguarela, colagens em papel, recortes), que são acompanhadas por um texto de Sofia Steinvorth, foram escolhidas pela artista a partir do seu arquivo pessoal.

Na secção “Furo” são reveladas obras inéditas de uma das mais reconhecidas fotógrafas da actualidade, a sul-africana Jo Ractliffe. São fotografias feitas em Angola, numa geografia que vai do porto de Luanda ao bairro da Boavista e ao mercado Roque Santeiro. Num ensaio escrito para esta edição, Afonso Dias Ramos apresenta a artista e o trabalho que destinou a Electra.

Na décima-primeira edição de Electra, Luiz Feldman, professor e diplomata brasileiro, analisa e põe em confronto visões do Brasil pensadas pelo sociólogo Gilberto Freyre e pelo historiador Sérgio Buarque de Holanda; a jornalista e escritora italiana, Cristina Battocletti, traça um retrato de Robert Bazlen, fundador da editora Adelphi, tradutor, escritor quase sem obra, que se tornou uma figura de culto, e visita a cidade natal deste autor, Trieste, berço de um ambiente cultural e literário de extraordinária riqueza; o poeta Manuel de Freitas comenta uma crónica de Fernando Pessoa sobre a celebridade; o realizador Anthony El Chidiac, escreve sobre o amor e o sexo, a liberdade e a ameaça, a vida e a morte, num diário que anda entre o Líbano e a Argentina; a historiadora e investigadora Júlia Leitão de Barros revisita a Exposição do Mundo Português, realizada em 1940, em Lisboa; o urbanista e geógrafo Jacques Lévy, entrevistado por Sofia Steinvorth, fala das cidades, das pessoas e das suas vidas quotidianas, das sociedades abertas, da democracia e de «serendipidade»; publica-se a terceira e última parte da colaboração entre o escritor Gonçalo M. Tavares e o grupo de artistas-arquitectos Os Espacialistas; e o jornalista António Costa Santos escreve sobre a palavra “super”.

Electra é a revista da Fundação EDP. É uma publicação internacional, com duas edições, em português e inglês, de crítica, pesquisa, ensaio e reflexão cultural, social e política, que aborda todas as áreas da cultura.


Ler mais

Autor

Vários

Ler mais