Tito Mba Ada

No dia 6 de fevereiro de 1964, em Nsok-Nsomo, na Guiné Equatorial, nascia Tito Mba Ada. Nesse mesmo dia, passados quarenta e oito anos, em 2012, a Assembleia Geral da ONU designou o dia 6 de fevereiro como o Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina; se o destino pode ser concebido como uma sucessão inevitável de acontecimentos com uma possível ordem cósmica, podemos afirmar que Tito Mba Ada continuou na direção dos seus objetivos: as condutas humanas através dos direitos e dos deveres.

Em 1994 realizou Estudos Sociais na Universidade de Zaragoza, em Espanha, com uma Pós-graduação em Cooperação no Desenvolvimento, pelo Patronat Sud-Nord na Universidade deValência, em 1998.

Foi Representante da Organização Medicus Mundi em Burkina Faso, de 1996 a 1998.

Foi aqui que teve contacto, pela primeira vez, in loco, com a realidade da MGF. Este choque acentuou-se quando teve de enfrentar, enquanto pai, a possibilidade de uma das suas filhas poder vir a ser vítima desta prática. Foi a paixão que nutria por Burkina Faso, as suas gentes, a sua família e as novas experiências de vida, que não permitiram que ficasse indiferente, começando a colaborar com os Serviços de Ação Social na Vila de Houndé, no âmbito de um projeto de sensibilização sobre MGF, no sentido de criar atitudes e ações educativas para que esta prática seja definitivamente abolida.

Serviu a sua terra natal, Guiné Equatorial, como Diretor-Geral no Ministério de Planificação e Desenvolvimento Económico (2000-2004), Conselheiro do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD (2005-2006), Diretor-Geral da Política Externa no Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (2007-2009) e Diretor-Geral do Gabinete do Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (2009-2010).

Exerceu como Primeiro Secretário da Embaixada da Guiné Equatorial em São Tomé e Príncipe, entre 2010-2012, onde se Licenciou em Direito pela Universidade IUCAI, em 2011.

Desde 2012 exerceu como Primeiro Secretário da Embaixada da Guiné Equatorial em Libreville (Gabão 2012-2013) e como Conselheiro da Embaixada da Guiné Equatorial em Yaoundé (Camarões 2012-2013).

Em setembro de 2014 foi nomeado Embaixador Representante Permanente da Guiné-Equatorial junto da CPLP. É Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da Guiné Equatorial em Portugal desde janeiro de 2016, e, simultaneamente, Embaixador não-residente em Cabo Verde, Guiné Bissau e Timor-Leste.

Tem formação especializada em Direito Internacional dos Conflitos Armados, pela Escola Superior de Guerra do Ministério da Defesa da República Federativa do Brasil (março 2018); em Análise de Informações Militares, pelo Centro de Informações e Segurança Militares do Estado-Maior-General das Forças Armadas de Portugal (outubro 2019); em Comunicação e Cooperação Financeira Internacional, pelo Instituto de Finanças Internacionais do Banco da China (dezembro 2019); igualmente, em Geopolítica da África Subsariana, pelos Institutos da Defesa Nacional (IDN), o Centro de Estudos Internacionais (CEI) do ISCTE, e o OBSERVARE da Universidade Autónoma de Lisboa (UAL).

Associado à sua extensa carreira Humanística e Diplomática, o domínio da Língua Fangue, de Espanhol, Francês e de Português permite-lhe participar em várias Conferências Internacionais, Cimeiras de Chefes de Estado e do Governo e Negociações Bilaterais em Angola, África do Sul, Brasil, Camarões, Cuba, China, Espanha, Gabão, Portugal, Marrocos, Nigéria, São Tomé e Príncipe, Zimbabwe e Suazilândia.

Foi distinguido com diversas condecorações, entre as quais se destaca a Distinção pelo Partido Democrático da Guiné-Equatorial (PDGE), pela dedicação e convicção ideológica, que afirma que a condição humana deve estar acima de todas as coisas, e com o "Prémio Lusofonia2021", que reconhece a sua valiosa contribuição na promoção dos valores da Lusofonia no mundo.

Tito Mba Ada é um Jurista de formação e um Diplomata de carreira, com uma grande experiência na ação humana; o livro Mutilação Genital Feminina: a sombra do empoderamento das mulheres na sociedade do século XXI pretende questionar a verdade ou a falsidade de um conhecimento que se define em função da sua fecundidade na ação humana; pretende questionar as doutrinas que afirmam que o homem é o criador dos valores morais, que se definem a partir das exigências concretas, psicológicas, históricas, económicas e sociais e que condicionam a vida humana.

Tito Mba Ada, ao escrever este livro, cumpre, em 2021, uma vez mais o seu destino, enquanto testemunha na primeira pessoa da MGF, um tema que apresentou no seu Mestrado de Diplomacia e Relações Internacionais na Universidade Lusófona e Humanidades de Lisboa.

Sobre o autor


  • Filtrar por: