Rahel Sanzara

Rahel Sanzara (1894-1936) foi bailarina, actriz e escritora. Nasceu na Alemanha, na província; filha de um músico, Rahel Sanzara estudou numa escola para raparigas; mais tarde, iniciou a sua formação como encadernadora. Em 1934, ainda menor de idade, foge para Berlim, onde começa uma relação intermitente de mais de 20 anos com o médico, escritor e produtor Ernst Weiss.

Na altura já com alguma fama literária, Weiss movia-se no círculo do expressionismo, sendo amigo de Kafka, Brod e Werfel. Mais tarde, Thomas Mann e Stefan Zweig passaram também a frequentar este grupo. As obras de Weiss recorrem a muitas teorias da moderna psicologia da época, nomeadamente às teorias de Freud, e Rahel Sanzara absorveu muitos dos conhecimentos do companheiro nessa área.

Em Berlim, depois de ter sido aluna de Rita Sacchetto, Sanzara tornou-se bailarina; participou também em vários filmes mudos de grande êxito após ter estudado com Otto Falckenberg, em Munique. Foi uma das figuras mais populares do meio artístico da República de Weimar. Desistiu do cinema, tendo enveredado por uma carreira mais séria no teatro, onde participou em dezenas de produções.

Aos 32 anos publicou A Criança Que se Perdeu, o primeiro e mais bem-sucedido dos seus quatro romances. A obra foi um êxito tremendo entre o público e a crítica, causando um grande escândalo devido ao tratamento de um tema tabu: a sexualidade infantil. Foi-lhe atribuído o Prémio Kleist, que a Autora recusou, o que deu origem a rumores nunca comprovados de que a obra seria, na verdade, escrita por Weiss.

Em 1927 casou-se com um banqueiro judeu, que, pouco tempo depois, teve de se exilar em França devido à perseguição nazi. Nessa altura, Rahel ficou em Berlim, visto que estava bastante fragilizada por um cancro do qual veio a morrer em 1936.


  • Filtrar por: