Envio gratuito para encomendas superiores a 35€, excepto envios à cobrança e envios internacionais.
O Genocídio Ocultado: investigação histórica sobre o tráfico negreiro árabo-muçulmano

O Genocídio Ocultado: investigação histórica sobre o tráfico negreiro árabo-muçulmano

Tidiane N`Diaye

5 dias

-10%

€16.00
€14.40

Detalhe do Produto

Editora: Gradiva
Tema: História
Ano de Edição: 2019
ISBN: 9789896168728

Sinopse

Sete séculos antes do tráfico de escravos europeu, que não poderia ter, aliás, a dimensão que teve sem a participação dos negreiros árabes e africanos, os Árabes arrasaram a África subsariana durante treze séculos sem interrupção.
A maior parte desses milhões de seres humanos que deportaram desapareceu, em resultado do tratamento inumano que lhes foi infligido. Essa dolorosa página da História dos povos negros não foi ainda definitivamente voltada.
Esse tráfico começou depois do fornecimento de escravos no Leste da Europa se ter esgotado, quando o emir e general árabe Abdallah ben Saïd impôs aos Sudaneses um bakht (acordo), concluído em 652, obrigando-os a entregar anualmente centenas de escravos.
A maioria desses homens provinha das populações do Darfour. E começou aí uma enorme horrorosa punção humana que só terminaria oficialmente no século XX. Muito depois da escravatura na Europa e do tráfico atlântico terem sido reconhecidos, abolidos e punidos.
Porque terão sido ocultados estes factos históricos?

Ler Mais

Sugestões Relacionadas

Mais vendidos em História

Salvo indicação em contrário, os descontos e campanhas apresentados são válidos para o dia 17-07-2019.

Sede Almedina

Rua Fernandes Tomás, n. º 76-80
3000-164 Coimbra

239 436 266

Livraria Almedina Grupo Almedina Almedina Livrarias Almedina

Newsletter


Ao aceitar está a concordar com a utilização dos seus dados pessoais para receber, por email, comunicações como newsletters, notícias, campanhas especiais e divulgação de produtos e serviços organizados ou comercializados pelo Grupo Almedina, nos termos da nossa Política de Privacidade que declara ter consultado previamente.