Partilhar

Pós-Guerra - História da Europa desde 1945

História Narrativa

Tony Judt

Indisponível

Desconto: 20%
33,52 € 41,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Numa análise política, social, cultural e económica que se pretende abrangente e revela de que forma estas vertentes se relacionam e influenciam, Tony Judt apresenta-nos uma obra que regista a evolução da Europa do pós-guerra.
Do fim da Segunda Guerra Mundial ao desmoronar do império soviético e à expansão da União Europeia, Pós-Guerra. História da Europa desde 1945 é uma obra fundamental para se ter uma melhor percepção dos acontecimentos e compreender a evolução por que passou o continente europeu nos últimos 60 anos.

ÍNDICE

Prefácio e Agradecimentos
Introdução

I PARTE –PÓS-GUERRA: 1945-1953

1. O Legado da Guerra
2. Retribuição
3. A Reabilitação da Europa
4. O Acordo Impossível
5. O Início da Guerra Fria
6. No Turbilhão
7. Guerras Culturais
Coda: O Fim da Velha Europa

II PARTE – A PROSPERIDADE E OS SEUS DESCONTENTES: 1953-1973

8. A Política de Estabilidade
9. Ilusões Perdidas
10. A Época da Abundância
Adenda: Uma História de Duas Economias
11. A Hora da Social-Democracia
12. O Espectro da Revolução
13. O Termo do Assunto

III PARTE – CÂNTICO FINAL: 1973-1989

14. Expectativas Mitigadas
15. A Política Numa Nova Clave
16. Período de Transição
17. O Novo Realismo
18. O Poder dos que não Estão no Poder
19. O Fim da Velha Ordem

IV PARTE – APÓS A QUEDA DO MURO: 1989-2005

20. Um Continente Físsil
21. Ajuste de Contas
22. A Velha Europa e… a Nova
23. As Várias Europas
24. A Europa como Modo de Vida

Epílogo
A Partir da Casa dos Mortos: Ensaio sobre a Memória Europeia Contemporânea

RECENSÕES CRÍTICAS



Escute um excerto do programa "1001 Escolhas" da Antena 1 em que a Jornalista Madalena Balça conversa com Teresa de Sousa sobre esta obra, emitido originalmente no dia 10 de Março de 2007.

Get the Flash Player to see this player.

Audio gentilmente cedido por Antena 1.

--/--


Acaba de sair e é uma das grandes e mais ambiciosas edições do ano em história contemporânea. Em 964 páginas, uma visão global, na linha de risco das polémicas sobre a segunda metade do século XX.

F.B., in Expresso

--/--


Se ainda não encontrou um presente de Natal adequado à conjuntura, recomendo- -lhe o recém-traduzido livro de Tony Judt, Pós-Guerra. Uma História da Europa desde 1945 (Edições 70). Este historiador britânico radicado nos EUA devolve-nos a diversidade do nosso passado imediato, sem grande futurologia, muito embora com algum pessimismo. Em Natal de austeridade, ficamos pelo menos a perceber melhor porque é que não chegámos a gozar plenamente este Estado-Providência em vias de desaparecimento.

Dominado pela "Guerra Fria" e por um uma conjuntura caracterizada pela democratização e pela reconstrução económica apoiada pelo Plano Marshall, onde estava Portugal neste período? Agarrado ao vizinho espanhol, mas menos isolado internacionalmente, Salazar baralha-se neste mundo do após-guerra, mas sobrevive como chefe de uma ditadura menor, pensando quase exclusivamente na resistência à descolonização.

Quando, entre duras batalhas pela descolonização e ensaios de unificação europeia em bases democráticas, a então "Eu- ropa Ocidental" se tornar num símbolo de sucesso económico, Portugal vai inventando um espaço económico português, preparando-se para uma guerra colonial que se avizinha. Apesar disso, é respaldado por esta dinâmica europeia que a década de 1960 representou uma mudança radical no desenvolvimento, com investimento estrangeiro, EFTA, emigração, remessas e guerra colonial. Quanto a "Estado-Providência", só algum cheirinho no final dos anos 60, já com Marcello Caetano, e sobretudo com o 25 de Abril de 1974. A transição para a democracia abre finalmente o capítulo da democratização da Península Ibérica, para baralhar parcialmente conflitos localizados da "Guerra Fria", com conjunturas "revolucionárias" em Portugal, e as ex-colónias a passarem para o então "outro lado" mais eslavo. A confusão seria rápida e Portugal entraria finalmente na normalidade da História, contada neste excelente livro.

Se não lhe servir para mais, a leitura da obra pode constituir um antídoto à notícia sobre a eventual chegada de Salazar à lista dos dez mais votados no Concurso da RTP Os Grandes Portugueses. Eu sei que este tipo de votações diz-nos mais sobre o presente do que sobre o passado, mas nunca fiando...

António Costa Pinto
Professor Universitário
acpinto53@hotmail.com


Press Clippings:
• Diário Económico
• Diário de Noticias - Um projecto de paz para a Europa

Ler mais

Autor

Tony Judt

TONY JUDT (1948-2010) nasceu em Londres e fez os seus estudos em Cambridge, nos Estados Unidos da América e na École Normale Supérieure em França. Leccionou História em Cambridge, Oxford e na Universidade de Berkeley e mais tarde Estudos Europeus na Universidade de Nova Iorque, tendo sido ainda fundador e director do Remarque Institute na mesma universidade. Autor de várias obras publicadas, contribuiu também regularmente para a New York Review of Books, Times Literary Supplement, The New Republic e outras publicações.

Ler mais