Partilhar

Cristãos & Pimenta - A Via Media na Teoria das Relações Internacionais de Adriano Moreira

Política Internacional e Diplomacia

Marcos Farias Ferreira

Em Stock

Desconto: 20%
20,72 € 25,90 €

Detalhes do Produto

Sinopse

Cristãos & Pimenta ganhou o prémio da Associação Portuguesa de Ciência Política (APCP) para a melhor tese de Ciência Política e Relações Internacionais apresentada nos anos 2006 e 2007.

Em Adriano Moreira, teorizador relutante, cristãos e pimenta é metáfora e ponto de partida para compreender a política das relações internacionais: o 'internacional' como esfera de sociabilidade marcada pelo sincretismo de interesses e valores, guerra e paz, ordem e contingência, consentimento e imposição, a sociedade internacional a caminho de um qualquer modelo comunitário mas também a disfunção recorrente da sua 'vida habitual'. Anarquia, sociedade de estados ou comunidade global, o elemento dramático parece então residir no jogo de forças que sempre "depende da intervenção voluntarista de homens agindo em função das suas matrizes valorativas, objectivos e percepções". A resposta do marinheiro de Vasco da Gama nas praias de Calecute sobre o que haviam ido buscar tão longe serve assim para ilustrar, e aderir, ao sincretismo de uma tradição política racionalista concebida como via media entre realismo e idealismo.
Marcos Farias Ferreira


ÍNDICE DE MATÉRIAS

APRESENTAÇÃO
PREFÁCIO
PRÓLOGO
    De Lisboa a Aberystwyth e retorno [percursos e opções]
INTRODUÇÃO
    «E perguntaram-lhe o que vínhamos buscar tão longe.» [...]

1. A teoria das relações internacionais no âmbito da filosofia das ciências sociais
    Modernidade, ciência e conhecimento: 'ansiedades cartesianas'?
    Modernidade, pós-modernidade e ciências sociais: entre a construção e a desconstrução do 'social'
    As diferentes problemáticas em torno de uma ciência do 'social'
    As diferentes configurações do positivismo em Relações Internacionais
    Duas histórias diferentes para contar: explicar ou compreender as relações internacionais?
2. A historiografia das Relações Internacionais: 'debate' recorrente entre realismo e idealismo
    Disciplinar a disciplina com base na teoria: a busca da identidade das Relações Internacionais
    Como teorizar as relações internacionais: a lógica discursiva interna e os factores externos
    Ontologia, epistemologia e paradigmas: a viabilidade do critério kuhniano
    Mudanças de paradigma e 'grandes debates': dos fundamentos ao antifundacionismo
    A persistência de uma ideia fundadora na historiografia das Relações Internacionais
    Realismo e idealismo: a heterogeneidade dialógica da realidade
    Uma disciplina em crise: a redescoberta da natureza e do locus da política
    A vingança de Leibniz: as Relações Internacionais como disciplina das disciplinas sociais
3. A ontologia e a epistemologia 'tradicionalistas': uma via entre materialismo e idealismo
    Segundo 'grande debate': disputa entre behaviourismo e tradicionalismo
    A escola inglesa e a recuperação da tradição da sociedade internacional
    A especificidade da escola inglesa no panorama da disciplina académica de Relações Internacionais
    A tensão dialógica inerente à ordem internacional: entre sociedade e comunidade
    Duas famílias de respostas ao 'problema da ordem': em torno da abordagem de N. J. Rengger
    O debate entre tradições: metodologia ou mitologia?
    Dos dois problemas praxiológicos de Raymond Aron à concepção de razão dialógica
    Adriano Moreira: interlocutor no debate entre Raymond Aron e Jacques Maritain
4. O tempo tríbulo da sociabilidade: construtivismo embrionário e ontologias sociais
    O domínio do 'ideacional' e a racionalidade da ontologia internacional
    O horizonte teleológico e moral da sociabilidade
    Entre Grotius, Vitoria e Suárez: direito natural, sociabilidade e tradição grotiana
    O regresso a uma teoria clássica do direito natural: o passivo da globalização e o 'regresso do divino' à vida internacional
    Uma teoria construtivista de terceira imagem assente em ontologias sociais
    Uma teorização que acomoda a possibilidade da mudança sistémica

CONCLUSÃO
    Contingência, sincretismo e razoabilidade [ou a Universidade sem condição]

BIBLIOGRAFIA
    Obras de Adriano Moreira
    Monografias
    Artigos em revistas com referee
    Artigos em compilações e contribuições para obras colectivas

Ler mais

Autor

Marcos Farias Ferreira

› FORMAÇÃO académica 2007 Doutoramento em Ciências Sociais/Relações Internacionais pelo ISCSP-UTL. Orientador: Óscar Soares Barata. Título da tese: “CRISTÃOS & PIMENTA: a via media na teoria das relações internacionais de Adriano Moreira” 2000 MScEcon in International Politics pela Aberystwyth University. Orientador da tese final: Tim Dunne. Título da tese: “DISSENTING VOICES: moral ressources for the transformation of political community in the Czech twentieth century” 1997 Mestrado em Relações Internacionais, especialização em Estudos Europeus, pelo ISCSP-UTL. Orientador da dissertação final: Adriano Moreira. Título da tese: “AUTENTICIDADE SOBRE A BALAUSTRADA: Václav Havel ou a dimensão existencial e dramática de uma política antipolítica” 1993 Licenciatura em Relações Internacionais pelo ISCSP-UTL 1989 Ensino secundário na Escola Secundária de Afonso de Albuquerque, Guarda › DOCÊNCIA Desde 2008 Professor Convidado no Instituto de Estudos Políticos, UCP Desde 2007 Professor Auxiliar no ISCSP-UTL 1998-2007 Assistente no ISCSP-UTL 1995-2007 Assistente na Faculdade de Ciências Humanas, UCP 1993-1998 Assistente na Universidade Internacional › CENTROS de investigação Desde 2007 Investigador do Instituto do Oriente, ISCSP-UTL › PRÉMIOS e distinções Mai. 2008 Diploma de distinção por mérito para professores concedido pela Reitoria da Universidade Técnica de Lisboa (UTL) Mar. 2008 Prémio da Associação Portuguesa de Ciência Política (APCP) para a melhor tese de doutoramento em Ciência Política e Relações Internacionais nos anos de 2006 e 2007 Abr. 2006 Bolsa de mérito concedida pela International Studies Association (ISA), pelo artigo “The Politics of Speaking ‘Europe’: making constructivist sense of Turkey’s Europeanness and accession to the EU” › ESCRITA regular Desde Fev. 2008 Correspondente em Lisboa da revista académica Letras Internacionales, Universidad ORT Uruguay Desde Abr. 2003 Coluna mensal ‘Theatrum Mundi’ no semanário regionalista O Interior, Guarda › PUBLICAÇÕES com peer-review Jun. 2008 “Apropos Kundera and Brodsky: Uncovering the Role of Litterary Querelles about the Meaning of Europe” in Negócios Estrangeiros, n.13, junho 2008 Set. 2006 “Christians&Pepper: Between Ontology and Epistemology (II)” in EX PONTO: text, imagine, metatext, n.º 3(12), ano IV, setembro-outubro, pp. 156-168 Jun. 2006 “Nation as narration: the (de)construction of ‘Yugostalgia’ through Kusturica’s cinematic eye” in Comunicação & Cultura, n.º 1(1), ano I, primavera-verão 2006, pp. 135-155 Abr. 2006 “Christians&Pepper: Between Ontology and Epistemology (I)” in EX PONTO: text, imagine, metatext, n.º 2(11), ano IV, abril-junho, pp. 138-152 Out. 2005 “Despre Scriitura, Ironie şi Zeflemea: o perspectivă asupra puterii in America Latină”, tradução de Angelo Mitchievici, in EX PONTO: text, imagine, metatext, n.º 4(9), ano III, outubro-dezembro, pp. 75-83 Abr. 2005 “fromUNDERtheGROUND: Naţiune şi naraţiune prin prisma ochiului cinematic al lui Kusturiţa & Bregović”, tradução de Angelo Mitchievici, in EX PONTO: text, imagine, metatext, n.º 2 (7), ano III, abril-junho 2005, pp. 159-167 Mar. 2004 “Of Writing, Irony & the Mockery of Power. Postcolonial Loci of Enunciation from Within Latin America” in Isabel Capeloa Gil et al., org., Landscapes of Memory, Universidade Católica, Lisboa, 2004, pp. 452-461 › PUBLICAÇÕES em actas de Congressos 2008 “Bajo el signo de K. Pensar Europa desde la ironía y la precariedad de la ‘otra Europa’”, Universidad de Navarra/Thompson-Aranzadi 2008 “Theatrum memoriæ. The Musilian sense of reality and possibility in Mitchievici’s Bildungsroman”, Faculdade de Letras da UL 2008 “Empire, pseudo-histoire, réminiscence. Sociologie et phénoménologie de la mémoire chez Havel et Mitchievici”, Presses Universitaires de Zagreb Mar. 2006 “Leibniz’s Revenge: International Relations between realism & idealism... again?” in Actas do II Congresso da Associação Portuguesa de Ciência Política, Bizâncio, Lisboa, 2006, 542-560 › OUTRAS PUBLICAÇÕES Out. 2007 Cristãos & Pimenta: A via media na teoria das relações internacionais de Adriano Moreira, Almedina, Coimbra Out. 2003 Co-tradução para a Editora Gradiva de James Dougherty e Robert L. Pfaltzgraff, Jr., Contending Theories of International Relations: A Comprehensive Survey, 5ª ed., Longman, Nova Iorque, 2001 1996-2002 Revisão de quatro edições de Adriano Moreira, Teoria das Relações Internacionais, Almedina, Coimbra (1ª ed. 1996, 2ª ed. 1998, 3ª ed. 1999, 4ª ed. 2002) Dez. 2000 “Dissenting Voices. Moral Ressources for the Transformation of Political Community in the Czech Twentieth Century”, in Estudos em Memória do Professor Doutor Luís Sá, Universidade Aberta, Lisboa, 2000, pp. 211-245 Dez. 2000 Autenticidade sobre a Balaustrada. Václav Havel ou a dimensão existencial e dramática de uma política antipolítica, ISCSP, Lisboa Set. 2000 Caderno de apoio para a cadeira de Política Internacional, Universidade Aberta, Lisboa, 2000 Jun. 2000 “Book Review: International Relations, Political Theory and the Problem of Order: Beyond International Relations Theory?”, in Millennium: Journal of International Studies, vol. 29, No. 1, 2000, pp. 253-254 Jun. 1996 “Tadeusz Mazowiecki: O imperativo de agir e de existir num ambiente moral contaminado”, in Cristianismo e Democracia: boletim GEPOLIS, 3 (1996), pp. 9-10

Ler mais