Partilhar

A Avó e a Neve Russa

João Reis

Em Stock


Desconto: 10%
15,30 € 16,99 €

Detalhes do Produto

Sinopse

«As folhas caídas das árvores giram à minha volta com o vento, mas aperto mais o casaco, porque nem o vento nem as folhas-bailarinas me alegram com a melancolia, só me deixam ensopado em tristeza, como a chuva nos faz por vezes. Os homens não choram. Avanço. Os catos que vejo alinhados na rua voltam a ser árvores e a Babushka, deitada na cama de hospital, é uma criança que aumentou e encolheu.»
Babushka está doente. Esta russa idosa, emigrante no Canadá, sobreviveu ao acidente nuclear de Chernobyl. Esconde no peito a doença que a obriga a respirar a contratempo e lhe impõe uma tosse longa e larga e comprida e sem fim - um mal que a faz viver mergulhada nas memórias do seu passado luminoso, a neve pura da Rússia, recordação sob recordação. Na fronteira com a realidade caminha o seu neto mais novo, de dez anos, um menino que não desiste de puxar o fio à meada e de tentar devolver a avó ao presente. Para ajudar Babushka, precisa de encontrar uma solução para os seus pulmões destruídos, sacos rasgados e quase vazios - mesmo que isso o obrigue a crescer de repente e partir em busca de uma planta milagrosa, o segredo que poderá salvar a família e completar a matriosca que só ele vê.
Narrado na primeira pessoa e escrito a partir da perspetiva de uma criança, "A Avó e a Neve Russa" é um livro feito da inocência e da coragem com que se veste o deslumbramento das infâncias. Romance simples e emotivo sobre a força da memória e da abnegação, relata a peregrinação de um neto através da esperança, do Canadá ao México, para encontrar a possibilidade de um final feliz.

Ler mais

Autor

João Reis

João Reis (n. 1985) é autor de quatro romances. Entre 2012 e 2015, trabalhou e residiu em países como Noruega, Suécia e Inglaterra. Como tradutor, especializou-se em línguas nórdicas, tendo vertido para português livros de Knut Hamsun, August Strindberg e Patrick White, entre outros. Foi duas vezes finalista do prémio Fernando Namora, em 2018 e 2020; A Devastação do Silêncio foi finalista do prémio Oceanos 2019; foi ainda finalista do Bare Fiction Prize, na categoria «flash fiction», em 2015. Em 2018, foi-lhe atribuída uma das bolsas de criação literária da DGLAB.

Ler mais